Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação dos efeitos da elevação da glicemia e cafeína, individualmente e em conjunto, sobre a cognição

Processo: 12/24758-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Fisiológica
Pesquisador responsável:Sabine Pompéia
Beneficiário:Laís Marquezim
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Glicemia   Psicofarmacologia   Cafeína   Cognição

Resumo

O presente projeto tem por objetivo aprofundar o conhecimento sobre os efeitos de cafeína e glicemia, independentemente e em conjunto, no humor e desempenho cognitivo (memória, atenção) em jovens saudáveis do sexo masculino que consomem cafeína. Dado o amplo consumo de produtos que contém cafeína é importante compreender detalhadamente de que forma ela afeta a cognição e o humor. Para tanto, propõe-se um estudo em duas etapas: primeiro perfil de concentração glicêmica por 90 min. após a ingestão de uma refeição padronizada com e sem e administração de uma dose de cafeína que corresponde a um café expresso duplo (150 mg em cápsula). Em teoria a cafeína deve aumentar a glicemia, mas isso não foi demonstrado para essas doses, tampouco qual sua relação com alterações de cortisol. A segunda etapa visa avaliar os efeitos da glicemia sobre os efeitos cognitivos e de humor da cafeína. Um estudo recente demonstrou que após a ingestão de alimento as concentrações plasmáticas de cafeína atingem valores próximos aos máximos somente após cerca de 120 min. e permanecem elevados por mais de 30 min. Sendo assim, serão avaliados os efeitos da cafeína sobre a cognição e humor entre 120 e 150 min. após a ingestão da cafeína em situação de glicemia elevada versus jejum. O desenho experimental será do tipo duplo-cego para ingestão de cafeína, cruzado, controlado com placebo e jejum, incluindo 12 participantes jovens saudáveis do sexo masculino que consomem cafeína diariamente. Esses participantes serão submetidos a 4 tratamentos em ordem aleatória: a) refeição sem cafeína; b) refeição com 150 mg de cafeína além do consumo normal matinal dos sujeitos; c) jejum sem cafeína; d) jejum com 150 mg de cafeína além do consumo matinal. Serão mensurados glicemia capilar, pressão arterial e frequência cardíaca a cada 15 min. e cortisol salivar, dinâmica pupilar (medida de esforço cognitivo e efeitos de cafeína) e humor a cada 30 min. . Após 90 min. da ingestão do tratamento nas condições de alimentação os participantes ingerirão mais barras de cereais. Trinta minutos depois (tempo necessário para que sejam atingidas concentrações séricas de cafeína próximas ao pico - etapa 2 do estudo) realizarão uma bateria de testes cognitivos e responderão a questionários de avaliação de sensações subjetivas. Será assim possível determinar de que forma a alimentação afeta os efeitos fisiológicos da cafeína tomadas cotidianamente (etapa 1), bem como a maneira com que a glicemia altera os efeitos cognitivos e de humor da cafeína e se está relacionada a alterações do cortisol. Este projeto tem por objetivo complementar dados obtidos em estudo aprovado pelo CEP da UNIFESP (projeto nº 0050/11) que tem financiamento da FAPESP (projeto n° 2011/01204-3) e será realizado por aluna de iniciação científica (Laís Marquezim) como trabalho de conclusão de curso sob orientação de Sabine Pompéia do Dep. De Psicobiologia.