Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização de padrões macroevolutivos em Culicidae (Diptera) mediante morfometria geométrica, sequenciamento genético e espectrometria de massa

Processo: 13/05521-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2013
Vigência (Término): 31 de maio de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Lincoln Suesdek Rocha
Beneficiário:Camila Lorenz
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/53637-0 - Interação Anopheles-Plasmodium: uma abordagem multidisciplinar, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):15/12784-1 - Filogenia de Culicidae utilizando o genoma mitocondrial, BE.EP.DR
Assunto(s):Culicidae   Morfometria   Evolução animal

Resumo

Os culicídeos, popularmente conhecidos como "mosquitos", compreendem um grupo monofilético dentro da ordem Diptera. Encontram-se distribuídos pelas regiões tropicais e temperadas, sendo que atualmente são reconhecidas 3.525 espécies. A classificação taxonômica tradicional é baseada em caracteres morfológicos e apesar de sua importância médica e do longo histórico de pesquisas, a compreensão filogenética do grupo permanece incompleta e o sistema de classificação não é totalmente natural. Ademais, existem lacunas significativas no conhecimento da taxonomia dos culicídeos, pois se trata de um grupo extenso e com muitas espécies ainda não-descritas. O objetivo deste trabalho é propor hipóteses filogenéticas entre os gêneros de Culicidae, verificando se eles realmente representam agrupamentos naturais. Tal estudo será baseado nos já tradicionais caracteres de variabilidade genética e nos recém-agregados caracteres de "perfil proteico". Sequências de diversos genes dos principais táxons serão obtidas no banco de dados genético GenBank e analisadas sob ponto de vista filogenético. Os dados dos perfis proteicos evidenciados por MALDI-TOF também serão acrescentados nas análises filogenéticas, mediante construção de supermatrizes e (ou) superárvores. Caracteres da geometria alar serão empregados complementarmente como marcadores taxonômicos, sobretudo nas espécies de difícil identificação, e serão usados para construção de fenogramas. Em geral, dados proteicos e morfométricos são incipientes enquanto que os dados genéticos estão esparsos e fragmentados no GenBank, devendo ser cuidadosamente reunidos para que permitam interpretações evolutivas. A exemplo de outros casos disponíveis na literatura, a combinação de métodos distintos ora proposta poderá promover uma compreensão mais holística da história evolutiva da família Culicidae. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Mudanças climáticas aumentam o risco de surtos de doenças transmitidas por mosquitos  
Estudo alerta para a presença de malária fora da região amazônica 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.