Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise do efeito das ferrugens alaranjada e marrom na eficiência fotossintética de variedades suscetíveis e intermediárias de cana-de-açúcar

Processo: 13/06136-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2013
Vigência (Término): 31 de maio de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Lilian Amorim
Beneficiário:André Bueno Gama
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Ferrugem (doença de planta)   Fotossíntese   Cana-de-açúcar   Delineamento experimental   Coeficiente de correlação de Pearson   Análise de regressão

Resumo

Diversas doenças são foco dos programas de melhoramento de cana-de-açúcar no Brasil, destacando-se entre elas, a ferrugem alaranjada (Puccinia kuehnii) e a ferrugem marrom (Puccinia melanocephala). Embora existam trabalhos relacionados com a fisiologia da cana-de-açúcar afetada por ferrugem marrom e alaranjada, não existem estudos com variedades brasileiras e diferentes concentrações de inóculo sob condições controladas que permitam compreender a interferência destas doenças na eficiência fotossintética de variedades suscetíveis e intermediárias. O presente trabalho visa avaliar a eficiência fotossintética de variedades brasileiras de cana-de-açúcar suscetíveis ou intermediárias às ferrugens marrom e alaranjada sob condições controladas e diferentes severidades das doenças. Variedades suscetíveis e intermediárias para cada uma dessas doenças serão plantadas por meio de toletes de uma gema em substrato, e as plantas provenientes serão inoculadas após um mês com urediniósporos coletados de folhas infectadas por P. kuehnii e P. melanocephala. As concentrações do inóculo serão de 10³ e 105 esporos /ml. O experimento será realizado em condições controladas (25 ºC e fotoperíodo de 12 h) e o delineamento será inteiramente casualizado. As avaliações serão realizadas 1, 8, 15, 22 e 29 dias após a inoculação, por meio de estimativas da eficiência fotossintética, condutância estomática e taxa de transpiração. As severidades das doenças também serão medidas por meio de imagens processadas no software QUANT. As variáveis correspondentes às trocas gasosas serão relacionadas entre si e com a severidade de doença por meio do coeficiente de Pearson (r), e as análises estatísticas serão realizadas por meio de regressão não-linear processadas no programa STATISTICA. Por meio dos resultados obtidos será possível inferir danos na produção em variedades com diferentes respostas de resistência, sob diferentes pressões de inóculo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)