Busca avançada
Ano de início
Entree

A Grandeza de Rem Koolhaas -- e suas ambivalências

Processo: 12/21502-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2013
Vigência (Término): 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Celso Fernando Favaretto
Beneficiário:Paolo Colosso
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Arquitetura pós-moderna

Resumo

Este trabalho sistematiza conceitos, perspectivas e projetos de Rem Koolhaas, a fim de entender em que medida a posição do arquiteto pode contribuir para problematizações acerca das metrópoles contemporâneas. Partindo da premissa de que seus trabalhos teóricos e arquitetônicos devem ser abordados conjuntamente, teremos como fio condutor formulações que culminam no conceito de Bigness - a hiper-arquitetura provida de pretensões urbanas - e as seguintes obras, que materializam os postulados teóricos de tal conceito: 1) o Terminal marítimo de Zeebrudge na Bélgica(1989), 2) a Très Grande Bibliothèque de Paris (1989), 3) o plano urbano de Lille na França (1989-1994). De modo mais específico, duas questões perpassam nosso trabalho: i) quais os papéis desempenhados pela Bigness na metrópole, em outros termos, sob que condições as propostas dessa hiper-arquitetura podem contribuir para resistir às tendências fragmentadoras das grandes cidades; e ii) em que momentos os trabalhos incorporados pelo arquiteto escritor, como a produção de textos e imagens gráficas, têm por si próprios um potencial crítico-transformador capaz de revelar contradições do estado atual de coisas e deficiências dos significados instaurados. O método usado será o de análise bibliográfica de textos e obras. Como procedimento metodológico, analisamos os trabalhos de Rem Koolhaas de modo interdisciplinar, partindo da orientação segundo a qual a arquitetura se insere na trama de processos históricos, sociais e econômicos. Esses procedimentos interdisciplinares têm como prisma teórico a estética materialista desenvolvida pela tradição da chamada Teoria Crítica da Sociedade. Nossa referência imediata de tal metodologia é a de Fredric Jameson, autor que por diversas vezes analisa trabalhos teóricos e arquitetônicos de Koolhaas. Jameson caracteriza o campo do estético enquanto uma esfera semi-autônoma que, apesar de se desenvolver em suas dinâmicas próprias, estabelece mediações diversas e em mão-dupla com a totalidade social. Deste modo, conseguimos avaliar as manifestações arquitetônicas de modo crítico, pois teremos mais clareza sobre as significações destas sob o pano de fundo do social. Quanto ao percurso a ser feito, este ocorrerá em quatro momentos. Num primeiro, analisamos as origens de uma arquitetura com pretensões urbanas presentes no conceito de cultura da congestão, forjada nos primeiros trabalhos de Koolhaas sobre o urbanismo novaiorquino. Destes primeiros trabalhos, destacamos linhas gerais da posição de Koolhaas: a orientação que visa enfrentar a dita condição metropolitana sem recair em utopias, a posição ambivalente - entusiasta e crítica - diante da vida urbana densa, dos arranha-céus e de outras forças de modernização da metrópole novaiorquina. Numa segunda seção, tratamos da noção de Bigness com base em diversos textos: naquele cujo título é Bigness, no Para Além do Delírio e em entrevistas onde Koolhaas deixa mais claro os múltiplos aspectos e escopos desse conceito. Devemos atentar nessa seção para relações entre o diagnóstico de Koolhaas sobre as metrópoles e suas propostas arquitetônicas que ganham pretensões urbanas. Analisaremos as obras acima citadas, salientando dispositivos projetuais que se concatenam aos postulados da arquitetura extra-large por meio das ideias de programa, de corte livre e outros elementos que pretendem reforçar o caráter operativo da arquitetura. Numa terceira etapa, elucidaremos as reavaliações feitas por Koolhaas acerca de suas próprias possibilidades, em textos dos anos 2000. Por fim, na quarta seção expomos mais detidamente algumas objeções e análises críticas feitas ao trabalho do arquiteto. Este projeto se justifica pela importância que ganha Koolhaas no panorama contemporâneo, quando o arquiteto propõe alternativas que pretendem ser, ao mesmo tempo, realistas e críticas tanto às utopias quanto às posturas que abandonam por completo a tentativa de racionalização das cidades.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
COLOSSO, Paolo. Rem Koolhaas nas metrópoles delirantes: entre a Bigness e o big business. 2015. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.