Busca avançada
Ano de início
Entree

Estabilidade oxidativa e qualidade de carne em bovinos de corte alimentados com caroço de algodão integral e Vitamina E

Processo: 13/01839-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2013
Vigência (Término): 31 de maio de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Angélica Simone Cravo Pereira
Beneficiário:Beatriz Mayumi Toda
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Qualidade da carne   Vida-de-prateleira   Perfil de ácidos graxos   Antioxidantes   Lipídeos

Resumo

A carne bovina é um alimento de elevado valor nutricional. No entanto, nos últimos tempos, esse alimento tem sido associado ao aumento do índice de colesterol, que pode trazer risco a saúde humana, como doenças cardiovasculares. Esse fato está relacionado com a composição de ácidos graxos na carne bovina, que apresenta elevada taxas de ácido graxo saturado. Portanto, será utilizado caroço de algodão como alternativa de ingrediente na dieta, pois, além de aumentar a composição de ácidos graxos insaturados na carne, o caroço de algodão é um coproduto de baixo custo muito utilizado como suplemento na alimentação de ruminantes. Serão confinados 54 bovinos machos, inteiros, Nelore, com aproximadamente 350 kg de peso inicial, idade média de 24 meses. Os animais serão abatidos de acordo com o peso (bloco) e tempo de confinamento (aproximadamente 75, 96 e 100 dias). As dietas empregadas serão compostas de diferentes concentrados, nos quais serão incluídos caroço de algodão, milho grão seco, polpa cítrica, bagaço de cana cru e farelo de soja. Assim, devido ao aumento de ácidos graxos insaturados na carne, pela utilização do caroço de algodão na dieta, serão utilizados os seguintes tratamentos: dieta contendo caroço de algodão e vitamina E, outro somente com caroço de algodão, além da dieta controle, sem o caroço. Os animais serão abatidos e serão retiradas amostras do músculo Longissimus, a fim de avaliar a vida de prateleira (simulada sob condições de varejo), perfil de ácidos graxos, perdas por cocção, maciez objetiva e maciez sensorial da carne desses animais.