Busca avançada
Ano de início
Entree

Revisão taxonômica de Bignonia L. (Bignonieae, Bignoniaceae)

Processo: 13/08657-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de setembro de 2013
Vigência (Término): 31 de agosto de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Taxonomia Vegetal
Pesquisador responsável:Lúcia Garcez Lohmann
Beneficiário:Alexandre Rizzo Zuntini
Supervisor no Exterior: Charlotte M. Taylor
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Missouri Botanical Garden, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:11/09160-5 - Revisão, filogenia e biogeografia de Bignonia L. (Bignonieae, Bignoniaceae), BP.DD
Assunto(s):Angiospermas   Revisão taxonômica   Bignoniaceae   Lianas

Resumo

As Bignoniaceae estão distribuídas por toda a região tropical e incluem aproximadamente 840 espécies organizadas em 81 gêneros. A família foi foco de diversos estudos filogenéticos recentes que propuseram alterações taxonômicas, tais como a recircunscrição das tribos tradicionalmente reconhecidas, a reorganização de gêneros pertencentes ao clado "Tabebuia aliance" e a redelimitação de gêneros pertencentes à tribo Bignonieae, formada majoritariamente por lianas com cunhas de floema em número múltiplo de 4. Esta proposta, reduziu o número de gêneros reconhecidos de 47 para 21, alterando de forma bastante significativa a delimitação dos gêneros no grupo. Um dos gêneros que sofreu grande alteração foi Bignonia, o qual passou a incluir 28 espécies, ao invés de uma única espécie (Bignonia capreolata), como na classificação anterior. Neste novo sistema de classificação, Bignonia é caracterizada pelos ramos usualmente quadrangulares, e às vezes costados, com crista interpeciolar e sem campo interpeciolar de glândulas, pelas folhas 2-folioladas, pela corola achatada dorso-ventralmente e pelas sementes com alas opacas. A história taxonômica do gênero é complexa, com o número de espécies aceitas variando de 1 a 173 espécies, e uma lista de quase 700 nomes de Bignonia atualmente disponíveis. Neste cenário, uma revisão taxonômica detalhada para o gênero visando a solução dos problemas taxonômicos, nomenclaturais e tipológicos é de extrema importância para o grupo. O projeto aqui proposto visa justamente elaborar uma monografia do gênero, baseada em caracteres morfológicos e nos caracteres moleculares utilizados para reconstruir a filogenia do gênero. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ZUNTINI, ALEXANDRE R.; TAYLOR, CHARLOTTE M.; LOHMANN, LUCIA G. Deciphering the Neotropical Bignonia binata species complex (Bignoniaceae). PHYTOTAXA, v. 219, n. 1, p. 69-77, JUL 7 2015. Citações Web of Science: 4.
ZUNTINI, ALEXANDRE R.; TAYLOR, CHARLOTTE M.; LOHMANN, LUCIA G. Problematic specimens turn out to be two undescribed species of Bignonia (Bignoniaceae). PHYTOKEYS, v. 56, p. 7-18, 2015. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.