Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização estrutural e funcional da glicoproteína Ssp-4 de formas amastigotas de Trypanosoma cruzi

Processo: 12/23150-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de julho de 2013
Vigência (Término): 31 de maio de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Renato Arruda Mortara
Beneficiário:Pilar Sampaio Tavares Veras
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/51475-3 - Biologia molecular e celular do parasitismo por Trypanosoma cruzi, AP.TEM
Assunto(s):Amastigotes   Trypanosoma cruzi   Glicoproteínas

Resumo

O protozoário flagelado Trypanosoma cruzi é o agente etiológico da doença de Chagas, de grande relevância na América Latina. Atualmente este protozoário está agrupado em 6 linhagens distintas, Tc I a Tc VI com base em estudos moleculares. Em seu ciclo de vida heteroxeno, T. cruzi alterna entre estágios evolutivos que apresentam diferenças bioquímicas e morfológicas: as formas epimastigotas, tripomastigotas e amastigotas; sendo as formas infectivas clássicas os tripomastigotas metacíclicos e os tripomastigotas sanguíneos. No entanto, sabe-se que amastigotas derivados de tripomastigotas, independente do estágio intracelular no mamífero, são também capazes de infectar células in vitro. Estes amastigotas extracelulares (AE), apresentam antígeno de superfície específico de amastigotas (Ssp-4), glicoproteína de 70-84 kDa ancorada à membrana por GPI e reconhecida pelo anticorpos monoclonais (AcMs) 2C2 e 1D9. Sabe-se também que a Ssp-4 é liberada progressivamente para o ambiente extracelular. No entanto, características estruturais e funcionais desta glicoproteína de superfície ainda não foram descritas na literatura. Até o presente momento, dados preliminares deste projeto nos revelaram que epítopos de carboidratos definidos pelos AcMs 2C2 e 1D9 estão diferentemente expressos dentre diferentes isolados, e que esta distribuição parece estar relacionada com o perfil de infectividade destes parasitos. Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo central caracterizar estruturalmente e funcionalmente a Ssp-4 e confirmar a relação da sua expressão com o perfil de infectividade em diferentes isolados de T. cruzi. Para tanto, pretendemos elucidar a sequência de aminoácidos da Ssp-4 por espectrometria de massas. Em seguida avaliaremos a infectividade das cepas G e CL que superexpressam Ssp-4. Verificaremos a relação entre a expressão e distribuição dos epítopos de carboidrato da Ssp-4 e a infectividade dos parasitos. Por fim identificaremos como ocorre a liberação da Ssp-4 para o meio extracelular pela investigação das vesículas secretadas pelos amastigotas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FLORENTINO, PILAR T. V.; REAL, FERNANDO; ORIKAZA, CRISTINA M.; DA CUNHA, JULIA P. C.; VITORINO, FRANCISCA N. L.; CORDERO, ESTEBAN M.; SOBREIRA, TIAGO J. P.; MORTARA, RENATO A. A Carbohydrate Moiety of Secreted Stage-Specific Glycoprotein 4 Participates in Host Cell Invasion by Trypanosoma cruzi Extracellular Amastigotes. FRONTIERS IN MICROBIOLOGY, v. 9, APR 10 2018. Citações Web of Science: 2.
FLORENTINO, P. T. V.; REAL, F.; BONFIM-MELO, A.; ORIKAZA, C. M.; FERREIRA, E. R.; PESSOA, C. C.; LIMA, B. R.; SASSO, G. R. S.; MORTARA, R. A. An Historical Perspective on How Advances in Microscopic Imaging Contributed to Understanding the Leishmania Spp. and Trypanosoma cruzi Host-Parasite Relationship. BIOMED RESEARCH INTERNATIONAL, 2014. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.