Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização molecular de um putativo transceptor de glicose em Aspergillus nidulans

Processo: 13/12784-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Gustavo Henrique Goldman
Beneficiário:Thaila Fernanda dos Reis
Supervisor no Exterior: Vera Meyer
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa: Technical University of Berlin (TU), Alemanha  
Vinculado à bolsa:11/04035-8 - Caracterização molecular do sistema de sensoriamento de glicose no fungo filamentoso Aspergillus nidulans, BP.PD
Assunto(s):Biologia molecular   Glicose   Aspergillus nidulans

Resumo

A glicose representa a principal fonte de carbono e energia para a maioria das células eucarióticas. Esse carboidrato também é responsável pela regulação de importantes processos celulares e metabólicos. Os efeitos regulatórios controlados por glicose são comuns em células eucarióticas incluindo os fungos. Com o objetivo de caracterizar os mecanismos no transporte e/ou sensoriamento da glucose no fungo filamentoso Aspergillus nidulans, nós identificamos quatro genes possivelmente homólogos aos genes RGT2 e SNF3 de Saccharomyces cerevisiae (nomeados hxtB-E). HxtE promoveu o crescimento da cepa de levedura EBY.VW4000 em meio contendo glucose, a qual possui os todos os transportadores e sensores de glicose deletados. Ainda, a proteína HxtE::GFP é direcionada para a membrane plasmática e a deleção deste gene em A. nidulans resulta em um padrão descontrolado do sistema de transporte de glicose. Entretanto, a cinética de Michaelis-Menten não nos permite classificar este gene como um transportador de baixa ou alta afinidade à glicose. Os resultados obtidos para o hxtE são bastante intrigantes e nos permite pressupor que este gene poderia codificar um transceptor de glicose em A. nidulans. Assim, com o objetivo de caracterizar funcionalmente o gene hxtE, nós propomos proceder o cultivo contínuo da cepa mutante de A. nidulans hxtE sob parâmetros altamente controlados utilizando o cultivo em chemostat. A biomassa resultante será utilizada para análises de RNA-seq com o objetivo de identificar possíveis alvos controlados por hxtE. Essa abordagem deverá contribuir para o melhor entendimento do envolvimento funcional do gene hxtE no transporte e sensoriamento de glicose em A. nidulans. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)