Busca avançada
Ano de início
Entree

Padronização, amplificação e avaliação de loci microssatélites previamente selecionados em Tolypeutes tricinctus

Processo: 13/12199-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 08 de setembro de 2013
Vigência (Término): 07 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Nadia de Moraes Barros
Beneficiário:Helena Tadiello de Moraes
Supervisor no Exterior: Nuno Miguel dos Santos Ferrand de Almeida
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: Universidade do Porto (UP), Portugal  
Vinculado à bolsa:12/16632-3 - Estudo da diversidade genética em Cingulata através de marcadores mitocondriais e microssatélites: o caso de uma população de Tolypeutes tricinctus (Linnaeus, 1758) do Cerrado., BP.MS
Assunto(s):Conservação genética   Genética populacional   Repetições de microssatélites   Tatus   Espécies em perigo de extinção

Resumo

O tatu-bola (Tolypeutes tricinctus) é um mamífero pertencente à ordem Cingulata. Esta espécie habita áreas de Caatinga e Cerrado, sendo endêmica ao Brasil. Até o inicio dos anos 1990 acreditava-se que esta espécie estava extinta, sendo então redescoberta em diferentes localidades. Devido à caça e à perda de habitat, o tatu-bola está ameaçado de extinção, sendo classificado como vulnerável segundo a IUCN. Os trabalhos já publicados referentes a esta espécie, na área da Biologia Evolutiva e Genética tratam-se de estudos filogenéticos ou taxonômicos focados no grupo dos xenartros. Estudos de diversidade genética ainda não foram realizados. Este projeto tem como propostas: 1) Padronizar as amplificações de múltiplos e independentes marcadores microssatélites já selecionados, através da abordagem denominada amplificação em multiplex; 2) Obter cerca de 40 loci polimórficos e genotipar estes marcadores em 33 indivíduos amostrados de uma população localizada no Cerrado brasileiro; 3) Avaliar a qualidade das genotipagens, verificando a existência de erros como alelos nulos e microssatélites imperfeitos, e desvios significativos do esperado em equilíbrio de Hardy-Weinberg. (AU)