Busca avançada
Ano de início
Entree

Os receptores alfa2C adrenérgicos presentes em osteoclastos são funcionais? eles medeiam diretamente os efeitos do hormônio tireoideano nessas células?

Processo: 13/12477-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de outubro de 2013
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Cecilia Helena de Azevedo Gouveia
Beneficiário:Marília Bianca Cruz Grecco Teixeira
Supervisor no Exterior: Deborah J. Veis Novack
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Washington, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:10/50068-2 - Avaliação do efeito do hormônio tireoideano na estrutura e fisiologia ósseas de camundongos com inativação do gene do adrenoceptor alfa 2C, BP.DD
Assunto(s):Metabolismo ósseo   Sistema nervoso simpático   Osteoclastos

Resumo

Um dos mais importantes achados dos últimos anos foi se que o remodelamento ósseo está sob controle do Sistema Nervoso Simpático (SNS). Evidências mostram que a ativação do SNS causa osteopenia via receptores adrenérgicos beta2 (beta2-AR). Em um estudo recente, mostramos que a hiperatividade simpática crônica em camundongos fêmeas knockouts para os receptores adrenérgicos alfa2A-AR e alfa2C-AR (alfa2A/alfa2C-ARKO), que regulam negativamente a liberação de noradrenalina, causa um inesperado fenótipo de alta massa óssea com diminuição da reabsorção e aumento da formação, mesmo apresentando sinalização do beta2-AR. Além disso, nós mostramos que esses animais são resistentes a osteopenia induzida por tirotoxicose. Esses achados sugerem que o beta2-AR não é o único adrenoreceptor envolvido na regulação da massa óssea e mostra que a sinalização dos alfa2-AR também podem mediar as ações do SNS e do Hormônio tireoideano no esqueleto. Para melhor investigar a participação dos receptores adrenérgicos alfa2 e sua possível interação com o HT na regulação da fisiologia e estrutura ósseas, nós avaliamos o fenótipo ósseo de camundongos knockouts para o alfa2CAR (alfa2CAR-/-)e o efeito do HT no esqueleto desses animais. Nós vimos que os animais alfa2CAR-/- apresentam menor volume trabecular (BV/TV) no femur e maior BV/TV na vértebra. Nós também observamos que esses animais são menos sensíveis a osteopenia induzida pela tirotoxicose. Esses achados sugerem que o SNS apresenta um efeito heterogênio no esqueleto e reforça a hipótese de que a sinalização dos receptores alfa2-AR também pode mediar as ações do SNS e do HT na massa óssea. Para confirmar essa hipótese, se faz necessário avaliar como as células ósseas de animais selvagens e knockouts respondem a agonistas e antagonistas alfa adrenergicos, na presença e ausência do HT. O objetivo do presente estudo é investigar se os receptores adrenérgicos alfa2C são funcionais em osteoclastos e se eles medeiam diretamente os efeitos do hormônio tireoideano nessas células. (AU)