Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel da proteína SET no perfil de metilação do miR-9 e no Reparo de DNA em células humanas de Carcinoma Espinocelular Oral

Processo: 12/12928-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2013
Vigência (Término): 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Andréia Machado Leopoldino
Beneficiário:Maryna Aguilar Tannous
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Reparo do DNA   Transdução de sinais   Instabilidade de microssatélites

Resumo

Os carcinomas espinocelulares de cabeça e pescoço (HNSCC) se referem a tumores de cavidade oral, faringe e laringe e são a sexta neoplasia mais comum mundialmente. O início e a progressão dos carcinomas espinocelulares (CEC) orais é um processo que se caracteriza pela aquisição de alterações genéticas e epigenéticas, sendo que estas não são totalmente compreendidas. As células neoplásicas apresentam hipometilação global do DNA e hipermetilação nos promotores de genes específicos. Estudos descreveram a hipometilação das sequências LINE-1 (retrotransposons) como marcadores da hipometilação genômica global em câncer. A desmetilação global desencadeia alterações na expressão de oncogenes e instabilidade cromossômica. A instabilidade genômica em câncer é marcada também pela presença de instabilidade de microssatélites (MSI), relacionada à deficiência do reparo do DNA. Adicionalmente, estudos vêm sendo realizados, no intuito de detectar o perfil de expressão de microRNAs em HNSCC, sendo que o perfil de metilação do miR-9 foi recentemente descrito como um importante biomarcador. Segundo nossos resultados, em CEC oral há um acúmulo da proteína SET, a qual promove o aumento da sobrevivência celular. A SET participa de diversos processos celulares e é encontrada em altos níveis em outros cânceres. Esse contexto sugere a utilização da SET como um alvo terapêutico, mas sua ação na tumorigênese ainda é pouco compreendida. A hipótese desse estudo se refere ao potencial papel da SET na indução e/ou manutenção de instabilidade genômica e na regulação de modificação epigenética. O objetivo é determinar o efeito da redução da SET tanto no perfil de metilação da LINE-1 e do miR-9 quanto na MSI em CEC oral in vitro e in vivo. Serão realizadas as análises da metilação por PCR quantitativo em tempo real (qrt-MSP) e de MSI por PCR convencional e eletroforese. O silenciamento estável de mRNA foi realizado usando o plasmídeo contendo shRNA contra SET em linhagens de CEC oral in vitro (HN12 e Cal27) e in vivo (HN12 xenograft tumors).

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
TANNOUS, Maryna Aguilar. O papel da proteína SET no perfil de metilação do miR-9 e no reparo de DNA em células humanas de carcinoma espinocelular oral. 2014. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.