Busca avançada
Ano de início
Entree

Detecção de odores voláteis e de coespecíficos em ratos expostos a enriquecimento ambiental olfatório

Processo: 13/07580-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2013
Vigência (Término): 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Gilberto Fernando Xavier
Beneficiário:Priscila Moreira de Souza
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Enriquecimento ambiental   Olfato   Neurogênese

Resumo

A ocorrência de neurogênese no encéfalo adulto de muitas espécies, inclusive no ser humano, é um fato aceito amplamente. Em mamíferos este processo ocorre na zona subventricular (ZSV), na parede dos ventrículos laterais, e na zona subgranular (ZSG) do giro denteado, no hipocampo. Em roedores, a neurogênese adulta na ZSV estaria relacionada com a manutenção do número de células no bulbo olfatório acessório, responsável primariamente pela detecção de odores não voláteis, por exemplo, ferômonios, e no bulbo olfatório principal, responsável primariamente pela detecção de odores voláteis. A exposição de ratos a diferentes odores parece levar a alterações detectáveis na neurogênese adulta, com reflexos na capacidade de discriminar odores. Estudos atribuindo funções especificas a esses neurônios recém-formados apresentam resultados conflitantes. Além disso, são raros os estudos que abordam especificamente a neurogênese no bulbo olfatório acessório ou que buscam comparações entre os sistemas olfativos principal e acessório. O presente estudo tem por objetivo avaliar os efeitos do enriquecimento ambiental usando odores cujo processamento demanda preferencialmente o bulbo olfatório acessório, e.g., odores de coespecíficos, e odores cujo processamento demanda preferencialmente o bulbo olfatório principal, e.g., odores voláteis, na posterior detecção desses tipos de odores. Hipoteticamente, a estimulação preferencial de um dos sistemas olfatórios (principal ou acessório) deverá aumentar sua sensibilidade ao tipo de odor por ele processado, em associação com um aumento na proliferação de neurônios na estrutura correspondente. Grupos independentes de ratos expostos ao enriquecimento com odores voláteis ou de coespecíficos, além de um grupo controle sem estimulação adicional, serão submetidos a testes de limiar de detecção de cada um desses tipos de odores. Posteriormente, será avaliada a ocorrência de eventual aumento na proliferação de neurônios nos bulbos olfatório principal e acessório. (AU)