Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos de drogas ativadoras da via NO-GMPc sobre a produção de MMPs em cultura de células

Processo: 13/09930-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 20 de julho de 2013
Vigência (Término): 19 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Fernando Morgan de Aguiar Correa
Beneficiário:Danielle Aparecida Guimarães
Supervisor no Exterior: Sruti Shiva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Pittsburgh (Pitt), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:10/15861-3 - Efeitos de drogas ativadoras da via NO-GMPc nas alterações vasculares associadas à hipertensão experimental 2R1C, BP.DR
Assunto(s):Óxido nítrico

Resumo

As doenças cardiovasculares, como a hipertensão arterial estão associadas ao aumento da ativação das metaloproteinases da matriz extracelular (MMPs). As MMPs são endopeptidases cálcio-dependentes, expressas em várias células e tecidos, incluindo células da musculatura lisa vascular, endotélio, fibroblastos e células inflamatórias. Estas enzimas podem ser reguladas por vários processos, e o aumento na ativação destas proteases, promove degradação excessiva dos componentes da matriz extracelular, e desse modo provoca um remodelamento vascular patológico. As estatinas reduzem a produção do colesterol, e assim como sildenafil, que é amplamente utilizado no tratamento da disfunção erétil e é um inibidor de fosfodiesterase (PDE5), possui efeitos benéficos denominados efeitos pleiotrópicos. Dentre estes efeitos inclui-se: a melhoria na função endotelial, redução na pressão arterial, aumento da biodisponibilidade de óxido nítrico (NO), bem como efeitos antioxidantes. Dentre os resultados obtidos no projeto de doutorado em desenvolvimento, foi observado que a atorvastatina e o sildenafil inibem o remodelamento vascular induzido pela hipertensão 2R1C, pois reduzem os expressão/atividade da MMP-2 em aorta bem como reduzem o estresse oxidativo que é capaz de induzir a atividade destas enzimas. Entretanto, ainda não foi avaliado o efeito destas drogas sobre as MMPs em cultura de células musculares lisas e endoteliais, incluindo a MMP-9 que foi considerada como um marcador de risco cardiovascular. Assim, o objetivo deste projeto é determinar do efeito da atorvastatina e do sildenafil, isoladamente ou em associação sobre as MMPs (2 e 9) em células vasculares, com o intuito de confirmar e complementar os resultados encontrados in vivo. (AU)