Busca avançada
Ano de início
Entree

Poliaminas e ascorbato peroxidase em resposta a indutores de enraizamento de Eucalyptus grandis x Eucalyptus urophylla

Processo: 13/09954-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2013
Vigência (Término): 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Fisiologia Vegetal
Pesquisador responsável:Giuseppina Pace Pereira Lima
Beneficiário:Roberta de Carvalho Dionizio
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Propagação vegetal   Compostos fenólicos   Enzimas oxirredutoras   Eucalipto   Raízes de plantas   Peróxido de hidrogênio   Flavonoides   Quercetina

Resumo

A propagação vegetativa é a principal forma de produção de mudas de Eucalyptus, por apresentar diversas vantagens, porém alguns materiais clonais ainda apresentam dificuldades de propagação, inclusive no enraizamento. As auxinas são caracterizadas como o principal regulador vegetal capaz de aperfeiçoar este processo. Indiretamente, os flavonoides e o peróxido de hidrogênio também podem favorecer o enraizamento pelo aumento da atividade de auxina endógena. O objetivo deste trabalho é avaliar o peróxido de hidrogênio e o flavonoide quercetina associados ou não a auxina a diferentes fases do enraizamento de Eucalyptus grandis x Eucalyptus urophylla, com auxílio de marcadores bioquímicos. Serão feitas avaliações biométricas aos 30, 60 e 90 dias pós-plantio, em que serão determinados diâmetro, altura, porcentagem de sobrevivência. Será realizada uma avaliação destrutiva em que serão determinados a porcentagem de enraizamento, número de raízes, comprimento de raízes e o teor de ácido ascórbico e atividade da enzima ascorbato peroxidase, além do teor de poliaminas, possíveis marcadores bioquímicos do enraizamento. A determinação do ácido ascórbico será feita através de titulação e a atividade da enzima ascorbato peroxidase será determinada através de métodos espectrofotométricos e o teor de poliaminas será feito através da cromatografia de camada delgada. Os dados serão submetidos à análise de variância (ANOVA) e às médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade.