Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação de vírus respiratórios associados à doença respiratória aguda grave, em amostras que apresentaram resultado negativo, para o vírus da influenza do tipo a A(H1N1)pdm09, durante o período pandêmico

Processo: 13/13020-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2013
Vigência (Término): 31 de agosto de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Terezinha Maria de Paiva
Beneficiário:Ludia Barboza Leite
Instituição-sede: Instituto Adolfo Lutz (IAL). Coordenadoria de Controle de Doenças (CCD). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/21922-0 - Investigação de vírus respiratórios associados a doença respiratória aguda grave, em amostras que apresentaram resultado negativo, para o vírus da influenza do tipo A (H1N1) pdm09 durante o período pandêmico, AP.R
Assunto(s):Diagnóstico diferencial   Epidemiologia   Influenza   Virologia   Saúde pública

Resumo

(1) Resumo: A evolução das metodologias moleculares para a identificação rápida e específica de agentes infecciosos, vírus, contribuiu na área de diagnóstico, além de promover o desenvolvimento de vacinas e medicamentos. O isolamento de vírus em culturas de células é importante para a detecção de novos vírus, caracterização antigênica e molecular. Os virologistas têm discutido a importância de capacitar profissionais na área de isolamento viral.(2) Objetivos: O treinamento técnico tem por objetivo capacitar à estudante selecionada no manuseio de diferentes cultivos celulares para o isolamento de vírus.3) Plano de trabalho: (3.1) A estudante realizará um estágio de uma semana no Núcleo de Culturas Celulares do Instituto Adolfo Lutz para aprender as boas práticas de laboratório pertinentes ao manuseio de cultura de células. No período vivenciará as questões relacionadas: à biossegurança; boas práticas de laboratório; contagem de células para obtenção de suspensão para cultivo em tubos e em micro placas; composição do meio de crescimento e manutenção do cultivo celular. Apresentará um seminário abordando os diferentes cultivos celulares utilizados para o isolamento de vírus;(3.2) No Núcleo de Doenças Respiratórias a estudante será responsável:*Preparação de meio de cultura para manutenção das células (MRC-5, Vero e MDCK);Leitura da monocamada de células antes da troca do meio de crescimento para certificar as condições do cultivo celular;*Troca do meio de crescimento pelo meio de manutenção para inoculação da amostra biológica previamente tratada com antibióticos;*Inoculação da amostra biológica no cultivo celular cabine de segurança biológica classe II - A2;*Observação da replicação viral pelo desenvolvimento do efeito citopático observado pela microscopia óptica*Extração de ácido nucléico total para os ensaios moleculares.Para o isolamento de vírus serão utilizadas as amostras respiratórias colhidas de pacientes com suspeita de infecção pelo vírus da influenza A (H1N1)pdm09 que já apresentaram resultados negativos para a investigação dos vírus da influenza tipos A e B, Vírus Respiratório Sincicial, Vírus da Parainfluenza tipos 1, 2 e 3 pela imunofluorescência indireta (IFI) utilizando-se o painel de anticorpos monoclonais.Uma vez que apresentaram resultado negativo no ensaio (IFI) serão submetidas ao painel de RT - PCR em Tempo Real para os outros vírus respiratórios desenvolvido pela equipe do CDC.(3.3) Justificativa da investigação: As amostras que apresentarem resultados negativo pela utilização das metodologias (IFI) e RT - PCR em Tempo Real serão inoculadas nos cultivos celulares; ou seja, a possibilidade de submetê-las ao cultivo em cultura celular ampliará o espectro da investigação de agentes infecciosos.(3.3.1) Justificativa da Bolsa TT1 - Oferecer ao estudante a oportunidade de se familiarizar com o ambiente de laboratório de pesquisa em Saúde Pública, ampliar seus conhecimentos na área da virologia.(3.4) Resultados esperados: Esclarecimento da etiologia envolvida nos casos graves de doença respiratória aguda grave, ocorridos durante a pandemia de 2009, a identificação de variantes virais ou mesmo novos vírus.