Busca avançada
Ano de início
Entree

Teste de caminhada de seis minutos vs. shuttle teste endurance: responsividade ao broncodilatador em pacientes com bronquiectasia

Processo: 13/01863-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2013
Vigência (Término): 11 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Simone Dal Corso
Beneficiário:Jacqueline Cristina Boldorini
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Memorial. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Bronquiectasia   Capacidade funcional   Testes de função respiratória

Resumo

Introdução: Como conseqüência dos danos estruturais no parênquima pulmonar, o principal impacto da bronquiectasia (BCQ) é a alteração da função pulmonar, caracterizada por obstrução e, num subgrupo de pacientes, por restrição. Nos pacientes obstrutivos, é comum o uso de broncodilatador (BD). Objetivo: Analisar qual teste clínico de campo, teste da caminhada de seis minutos (TC6) ou shuttle teste endurance (STE), é mais responsivo ao BD e contrastar as respostas ao exercício entre o TC6 e shuttle teste incremental (STI) bem como comparar o desempenho nestes testes entre os bronquiectásicos obstrutivos e restritivos. Métodos: Este é um estudo randomizado, duplo cego, placebo controlado e cruzado, no qual 31 pacientes com BCQ realizarão dois TC6 e dois STE, em dias separados (48h), precedidos por placebo ou BD (400 mg de salbutamol). Os parâmetros cardiopulmonares e metabólicos serão monitorizados em todos os testes por sistema de telemetria dos gases expirados. Não há uma visita especifica para o STI, pois este teste já terá sido realizado em outro estudo em andamento com os mesmos pacientes. Resultados esperados: Nossa hipótese é que o STE será mais responsivo ao BD, pois o ritmo da caminhada é mantido e o paciente aumenta o tempo de realização do teste enquanto que no TC6 os pacientes têm que aumentar a velocidade de caminhada para conseguir percorrer uma maior distância. As respostas submáximas ao TC6 e STI serão diferentes devido às características intrínsecas de cada teste (velocidade controlada pelo paciente e por estímulos sonoros, respectivamente). Por fim, os padrões de respostas ventilatória ao exercício (freqüência respiratória, volume corrente e ventilação) seriam semelhantes entre os bronquiectásicos obstrutivos e restritivos, pois ambos os padrões determinam inabilidade em aumentar o volume corrente durante o exercício, resultando em elevada freqüência respiratória e relação ventilação pico/ventilação voluntária máxima. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE CAMARGO, ANDERSON ALVES; BOLDORINI, JACQUELINE C.; HOLLAND, ANNE E.; SILVA DE CASTRO, REJANE A.; LANZA, FERNANDA DE CORDOBA; ATHANAZIO, RODRIGO A.; RACHED, SAMIA Z.; CARVALHO-PINTO, REGINA; CUKIER, ALBERTO; STELMACH, RAFAEL; DAL CORSO, SIMONE. Determinants of Peripheral Muscle Strength and Activity in Daily Life in People With Bronchiectasis. PHYSICAL THERAPY, v. 98, n. 3, p. 153-161, MAR 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.