Busca avançada
Ano de início
Entree

Novos realismos no cinema e na televisão: políticas da representação em narrativas audiovisuais

Processo: 13/10003-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de outubro de 2013
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Comunicação - Teoria da Comunicação
Pesquisador responsável:Rosana de Lima Soares
Beneficiário:Rosana de Lima Soares
Anfitrião: Alvaro Augusto Comin
Instituição-sede: Escola de Comunicações e Artes (ECA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : King's College London, Inglaterra  
Assunto(s):Mídia audiovisual   Narrativa transmídia   Discurso narrativo   Estigma social

Resumo

O tema desta pesquisa articula dois campos ao mesmo tempo próximos e distintos: o discurso cinematográfico em forma de filmes documentários e o discurso jornalístico em forma de reportagens televisivas. A seleção da amostragem se fará em torno da temática dos estigmas sociais, em suas interfaces com a psicanálise, a antropologia, a sociologia, a filosofia, a história, as ciências da linguagem, a comunicação. A pesquisa tem como objetivo o estudo de discursos das mídias de caráter realista - documentário e jornalismo - a fim de estabelecer uma análise contrastiva entre eles, apontando seus pontos de contato e afastamento. Entre as hipóteses, tentaremos demonstrar que o estabelecimento das fronteiras entre fato e relato se faz no tensionamento dessas posições, estabelecendo novos realismos e alargando os limites entre "referencialidade" e "ficcionalidade" em narrativas audiovisuais, contribuindo para a reflexão sobre o estatuto das imagens na contemporaneidade. A pesquisa volta-se, portanto, para os modos de construção da representação de estigmas sociais em narrativas audiovisuais contemporâneas por meio dos processos de identificação e de partilha do sensível nelas evocadas. Por meio da análise de documentários e programas televisivos, exploraremos a questão dos novos realismos presentes nos discursos das mídias a partir de uma perspectiva histórica sobre os modos de endereçamento do mundo concreto, passando pelas injunções das imagens técnicas frente a uma cultura midiática cada vez mais marcada por processos que visam produzir determinados efeitos de realidade, oscilando entre o retorno do real e o elogio da ficção. (AU)