Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização química e isolamento biomonitorado de substâncias com ação anti-inflamatória e/ou anti-HIV de uma própolis brasileira.

Processo: 13/07834-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2013
Vigência (Término): 30 de junho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Antonio Salatino
Beneficiário:Caroline Cristina Fernandes da Silva
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fitoquímica   Anti-inflamatórios

Resumo

A própolis é uma mistura complexa de substâncias com aspecto resinoso, elaborada por abelhas Apis mellifera. A composição da própolis é muito diversa, variando de acordo com a flora local, além de outros fatores. Apesar da ampla variação química e enorme diversidade de tipos de conhecidos de própolis, praticamente todos os tipos de própolis têm revelado amplo espectro de atividade biológica, incluindo ação antibacteriana, antifúngica, antiviral, antiprotozoários, citotóxica, entre muitas outras propriedades. A própolis brasileira mais consumida nos mercados interno e externo corresponde ao tipo verde (ou de alecrim), cuja fonte botânica é Baccharis dracunculifolia (alecrim-do-campo). Grande parte da pesquisa sobre química e propriedades biológicas de própolis brasileiras concentra-se no estudo de extratos hidroalcoólicos de própolis verde. Os poucos trabalhos que tratam de extratos menos polares desse tipo e de outros tipos de própolis têm revelado substâncias inéditas. O presente projeto tem por objetivos: 1) a análise da composição química; 2) determinação das atividades anti-HIV e anti-inflamatória; 3) isolamento de constituintes ativos, de uma amostra de própolis do Paraná, proveniente de uma localidade em que plantas de alecrim-do-campo não têm a dominância que apresentam em outros locais das regiões sul ou sudeste, e também onde Populus sp., fonte botânica comum para as própolis do Sul do Brasil, não é predominante. Tratando-se de uma própolis com fonte(s) botânica(s) desconhecida(s), e que não foi submetida previamente a uma caracterização química, extratos obtidos com solventes de polaridade crescente (hexano, diclorometano, acetato de etila e metanol) serão analisados por CG-EM e CLAE-EM-EM. Um extrato de acetato de etila será fracionado por cromatografia vácuo-líquido. As frações obtidas serão analisadas para determinação de atividades anti-HIV, por meio do ensaio de atividade inibitória da transcriptase reversa, e anti-inflamatória, por meio de inibição da expressão do mRNA das citocinas pró-inflamatórias IL-1² e IL-6, e da ciclooxigenase 2 (COX-2) em macrófagos de camundongos. As frações ativas serão recromatografadas para isolamento dos constituintes ativos, que poderá ser feito por CLAE semipreparativa. A realização dos dois ensaios de atividade biológica é inédita para amostras de própolis brasileiras. O isolamento biomonitorado permitirá a obtenção e identificação de substâncias ativas, e o fracionamento do extrato permitirá a detecção de substâncias presentes em baixa abundância relativa, possibilitando assim a caracterização mais ampla dos constituintes da amostra.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GIUSEPPINA NEGRI; CAROLINE CRISTINA FERNANDES SILVA; GUILHERME RABELO COELHO; ROBERTO MANOEL DO NASCIMENTO; RONALDO ZUCATELLI MENDONÇA. Cardanols detected in non-polar propolis extracts from Scaptotrigona aff. postica (Hymenoptera, Apidae, Meliponini). Brazilian Journal of Food Technology, v. 22, p. -, 2019.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.