Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito imunomodulador de células-tronco mesenquimais derivadas da membrana amniótica equina: análise proteômica e do perfil de citocinas do meio de cultivo condicionado e suas interações com o sistema imune

Processo: 13/09383-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2013
Vigência (Término): 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Fernanda da Cruz Landim
Beneficiário:Bruna de Vita
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/17032-2 - Treinamento científico em isolamento, caracterização e avaliação imunomoduladora de células progenitoras multipotentes derivadas da placenta humana e equina, BE.EP.PD
Assunto(s):Terapia baseada em transplante de células e tecidos   Cultura de células   Citocinas   Células-tronco mesenquimais   Proteômica   Linfócitos T

Resumo

As células-tronco mesenquimais e células estromais multipotentes (CTMs) emergiram nos últimos anos como excelentes fontes alternativas às células-tronco embrionárias por sua alta capacidade plástica e seus efeitos imunomoduladores sem induzir a formação de tumores e apresentando menores entraves éticos em sua utilização terapêutica. A medula óssea é a fonte mais utilizada de CTMs, no entanto sua colheita invasiva e sua capacidade de proliferação e diferenciação dependentes da idade do doador motivou a busca por novas fontes. Sendo assim, as CTMs derivadas dos anexos fetais têm recebido destaque nas últimas décadas por serem fontes rotineiramente descartadas após o parto, de colheita não invasiva, com alto potencial de diferenciação e efeito imunomodulador. Essas características, somadas à sua baixa imunogenicidade tornaram CTM derivada da membrana amniótica (MA-CTMs) uma grande candidata à formação de banco de células-tronco para futuro uso em terapias alogênicas para diversas espécies. Porém, pesquisas relativas às MA-CTMs equinas ainda são raras. O Objetivo deste trabalho será a avaliação dos efeitos imunomoduladores da MA-CTMs equinas visando à formação de um banco de células. As amostras de membrana serão colhidas no momento do parto e transferidas em um sistema de transporte refrigerado ao laboratório. As células serão obtidas através da digestão enzimática das amostras e então cultivadas em condições especiais. O meio condicionado será colhido durante a expansão in vitro e criopreservados até sua utilização. O perfil cinético de proliferação das células será avaliado através dos testes de unidade formadora de colônias de células fibroblastóides, duplicação da população e tempo de duplicação. As amostras serão caracterizadas imunofenotipicamente quanto à expressão dos marcadores CD29, CD44, CD105, CD34, MHCI e MHCII por RT-PCR. A avaliação da expressão dos marcadores de pluripotência Oct-4, TRA1-60 e SSEA-4 será realizada por citometria de fluxo e, caso sejam encontradas, o potencial de diferenciação em linhagens extra-mesodermais será realizado a partir da diferenciação neurogênica in vitro. A avaliação proteômica do meio condicionado será realizada através de eletroforese bi-dimensional e espectrometria de massa. Já o perfil de citocinas será avaliado pela técnica de ELISA. O estudo da interação das MA-CTMs com células do sistema imune será realizado por meio do teste de proliferação de linfócitos. Finalmente, dois diferentes protocolos de criopreservação, em relação ao melhor momento de congelação das células para a formação do banco celular, serão comparados. Com os resultados esperamos demonstrar as características das MA-CTMs equinas como vantajosas para o estabelecimento de um banco de células-tronco equinas e seu uso em terapias alogênicas.