Busca avançada
Ano de início
Entree

Tramas sociais, teias urbanas: comércio e justiça na História da Urbanização dos "Certoens do Norte" (1675 - 1822).

Processo: 13/04404-9
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2013
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Beatriz Piccolotto Siqueira Bueno
Beneficiário:Damião Esdras Araujo Arraes
Instituição Sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):15/07757-5 - Ecos de um suposto silêncio: paisagem e urbanização dos "Certoens" das capitanias do norte e do estado do Maranhão, 1671-1821, BE.EP.DR
Assunto(s):Mercado interno   História da urbanização   Redes urbanas   Cultura material
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:cultura material | História da Urbanização | mercado interno | Políticas Régias | rede urbana | Sertão Nordestino | História da Urbanização do Brasil Colônia

Resumo

Tramas sociais, teias urbanas: comércio e justiça na História da Urbanização dos "Certoens do Norte" (1675 - 1822) busca estudar o processo de formação das redes urbanas no sertão nordestino, entre 1675 e 1822, a partir de aspectos poucos explorados pela historiografia: o comércio e a justiça.Com foco nas zonas interiorizadas dos atuais estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia, propõe descortinar especificidades do mercado interno, interpretando as modalidades de trocas mercantis entre as capitanias e com o Ultramar, com vistas a entender a divisão técnica e social do trabalho relacionada à economia do criatório e o papel dos núcleos de povoamento nesse sistema urbano. Poe luz nos atores, nas redes de relações e nas hierarquias sociais, verificando suas implicações econômicas, políticas e culturais.Em paralelo, contempla a política de urbanização nos "Certoens do Norte", verificando como a Coroa portuguesa planejou ali introduzir a justiça a partir dos Seiscentos, para controle territorial e equação dos conflitos, crimes e jogos de poder. Desse prisma, investiga especialmente os "julgados" - categoria urbana pouco conhecida -, preferidos às "vilas", especialmente em áreas litigiosas, como as zonas de mineração e os sertões indômitos, onde Portugal não visava conferir autonomia política aos mandatários locais.Em se tratando de um projeto de doutorado proposto para uma Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, tem como propósito último analisar nas "rugosidades" (Milton Santos, 2009) do território e dos cascos urbanos os vestígios materiais dessa rede de intercâmbios.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ESDRAS ARRAES. NARRATIVAS DA URBANIZAÇÃO DOS SERTÕES DO NORTE. Mercator (Fortaleza), v. 17, . (13/04404-9)
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
ARRAES, Damião Esdras Araujo. Ecos de um suposto silêncio: paisagem e urbanização dos \certoens\ do Norte, c.I666-I820.. 2017. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU/SBI) São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.