Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da influência da hipertensão arterial na resposta tecidual e na capacidade de mineralização dos cimentos reparadores MTA Angelus Branco® e cinza e IRM. análise histológica e imunoistoquímica em ratos

Processo: 13/09446-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:João Eduardo Gomes Filho
Beneficiário:Christine Men Martins
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/10541-1 - Diferenciação de osteoclastos, formação nodular, fenótipo ósseo e da lesão periapical em BPH/2 ratos hipertensos, BE.EP.DR
Assunto(s):Hipertensão   Mineralização   Cimentos endodônticos   Teste de biocompatibilidade

Resumo

Um estado hipertensivo pode provocar uma maior mobilização de cálcio a partir do osso e sua maior excreção pelos rins. O cimento endodôntico reparador MTA Ângelus® visa indução da mineralização nos tecidos onde é aplicado. Dentro dessa linha, pode-se inferir que a cicatrização dos tecidos após o tratamento endodôntico em pessoas hipertensas com esse cimento pode ser prejudicada. Frente a isso, o objetivo desse estudo será avaliar a relação entre a hipertensão arterial, a resposta tecidual e a capacidade de mineralização dos cimentos endodônticos reparadores MTA Ângelus® Branco e Cinza e o IRM®, por meio de um modelo experimental em ratos. Serão utilizados 16 ratos hipertensos e 16 ratos normotensos. Todos os animais receberão individualmente quatro implantes de tubos de polietileno, sendo três contendo os cimentos a serem testados e mais um tubo vazio como controle. Dentro de cada grupo, haverá uma subdivisão, sendo que 8 animais de cada grupo serão sacrificados ao sétimo dia e nos animais restantes serão realizadas injeções de fluorocromos (calceína, alizarina e oxitetraciclina), aos 7, 14 e 21 dias, sendo estes sacrificados ao trigésimo dia. Após o sacrifício dos animais, os tubos de polietileno juntamente com o tecido que o circunda serão removidos e metade das peças será fixada em glicol metacrilato e processada para análise histológica por Hematoxilina e Eosina (HE), Von Kossa e sem coloração para análise com luz polarizada e fluorescência. O critério de avaliação será de 0: nenhuma ou poucas células e nenhuma reação; 1: menos de 25 células e reação leve; 2: entre 25 e 125 células e reação moderada; 3: 125 ou mais células e severa reação. Cápsula fibrosa será considerada fina quando < 150¼m e espessa quando > 150¼m. Presença de mineralização será registrada como presente ou ausente. A outra metade das peças será analisada por imunoistoquímica, por meio dos marcadores específicos Runx-2, Osteocalcina e Osteopontina. Os resultados serão tabulados e analisados estatisticamente, padronizando o nível de significância em 5%.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARTINS, C. M.; DE AZEVEDO QUEIROZ, I. O.; ERVOLINO, E.; CINTRA, L. T. A.; GOMES-FILHO, J. E. RUNX-2, OPN and OCN expression induced by grey and white mineral trioxide aggregate in normal and hypertensive rats. International Endodontic Journal, v. 51, n. 6, p. 641-648, JUN 2018. Citações Web of Science: 3.
MARTINS, CHRISTINE MEN; SASAKI, HAJIME; HIRAI, KIMITO; ANDRADA, ANA CRISTINA; GOMES-FILHO, JOAO EDUARDO. Relationship between hypertension and periapical lesion: an in vitro and in vivo study. Brazilian Oral Research, v. 30, 2016. Citações Web of Science: 0.
MARTINS, CHRISTINE MEN; SASAKI, HAJIME; HIRAI, KIMITO; ANDRADA, ANA CRISTINA; GOMES-FILHO, JOAO EDUARDO. Relationship between hypertension and periapical lesion: an in vitro and in vivo study. Brazilian Oral Research, v. 30, n. 1, p. -, 2016. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.