Busca avançada
Ano de início
Entree

Adesão de gestantes à cinesioterapia do assoalho pélvico

Processo: 12/25049-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem Obstétrica
Pesquisador responsável:Maria Luiza Gonzalez Riesco
Beneficiário:Fernanda da Silva Santos
Instituição-sede: Escola de Enfermagem (EE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cooperação e adesão ao tratamento   Gravidez   Processo saúde-doença   Assoalho pélvico   Períneo   Terapia por exercício   Cinesioterapia   Estudo observacional

Resumo

No processo saúde-doença, a adesão ao tratamento é parte essencial para resultados significativos ao paciente e não pode ser considerado apenas o cumprimento ou não da prescrição da equipe de saúde. A adesão à cinesioterapia (CT) do assoalho pélvico (AP) pode trazer numerosos benefícios para as gestantes, pois a gestação pode ter ação negativa sobre a musculatura do AP. Objetivo: Verificar e analisar a adesão das mulheres à CT do AP não supervisionada durante a gestação. Método: Estudo observacional, longitudinal e prospectivo. A população será constituída por mulheres usuárias de um serviço de saúde do setor suplementar, em Guarulhos, São Paulo. A amostra será constituída por todas as mulheres que iniciarem o pré-natal no primeiro trimestre de gestação, entre novembro de 2012 e julho de 2013, segundo os critérios de inclusão e exclusão definidos. Estima-se a inclusão de aproximadamente 500 gestantes na amostra. Serão consideradas, como exposição, a gestação e a orientação para a CT do AP e o desfecho considerado é a adesão da gestante à CT do AP. Os instrumentos de avaliação serão formulários, respondidos mediante entrevista durante a consulta de enfermagem e por contato telefônico. Essas consultas e os contatos acontecerão em seis etapas. A 1ª etapa corresponde à inclusão da gestante no estudo, realizada pela enfermeira ou obstetriz do serviço, quando é realizada a orientação verbal e por escrito sobre a realização de exercícios perineais em casa. A 2ª, 3ª e 4ª etapas serão realizadas, pela bolsista, por meio de contato telefônico mensal, a partir da inclusão da gestante no estudo. A 5ª e 6ª etapas serão realizadas na consulta de pré-natal, também realizada pela enfermeira ou obstetriz do serviço, entre a 22ª e 24ª e entre a 34ª e 36ª semanas de gestação, respectivamente. Os dados serão digitados em dupla entrada e armazenados em planilhas do Excel. Será realizada a análise descritiva e inferencial dos dados.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)