Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação quantitativa das focalidades presentes no EEG interictal de pacientes com epilepsia de lobo temporal

Processo: 13/15969-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Luiz Eduardo Gomes Garcia Betting
Beneficiário:Alessandra de Pinho Pimenta Borges
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/02961-2 - Investigação das epilepsias focais utilizando análise quantitativa do vídeo-eletroencefalograma e da neuroimagem, AP.JP
Assunto(s):Eletroencefalografia   Epilepsia   Neurologia   Neuroimagem   Ressonância magnética

Resumo

Epilepsia de lobo temporal medial (ELT) é a epilepsia focal mais comum do adulto. O marcador neurofisiológico interictal da ELT são as descargas epileptiformes que ocorrem na porção anterior e medial do lobo temporal. Estas descargas podem apresentar morfologia variada e em algumas situações, como por exemplo, durante o sono, podem ocorrer de forma mais difusa. A investigação por ressonância magnética (RM) em pacientes com ELT geralmente mostra a atrofia hipocampal (AH) caracterizada por redução volumétrica do hipocampo nas sequências T1 e hipersinal nas sequências T2. Neste estudo selecionaremos 5 pacientes com ELT com AH direita, 5 com AH esquerda e 5 sem AH. Os pacientes serão submetidos ao exame de eletroencefalograma de rotina utilizando a montagem internacional 10-20 com os 19 eletrodos padrões e utilizaremos mais 6 eletrodos temporais inferiores para melhor cobertura das regiões temporais. Os pacientes selecionados apresentarão pelo menos dois exames alterados. Para cada indivíduo, as descargas epileptiformes serão isoladas e classificadas de acordo com sua localização. Uma média das descargas armazenadas será posteriormente realizada e finalmente aplicaremos análise quantitativa para localização das descargas utilizando o programa BESA. Finalmente, realizaremos a descrição qualitativa dos achados de cada subgrupo.