Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização molecular, de patogenicidade e filogenética de Cepas de Escherichia coli patogênica aviária e estirpes do vírus da bronquite infecciosa isoladas de co-infecção em plantéis avícolas do Brasil

Processo: 13/11255-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2013
Vigência (Término): 31 de agosto de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Fernando Antonio de Avila
Beneficiário:Maria de Fatima Silva Montassier
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Vírus da bronquite infecciosa   Fatores de virulência   Escherichia coli   Microbiologia

Resumo

RESUMOAs doenças infecciosas continuam a ser as principais causas de graves impactos econômicos sobre a produção de aves, especialmente as infecções causadas por Escherichia coli patogênicas para aves (APEC), que resultam em perdas significativas por ano à indústria avícola devido à mortalidade, retardo do crescimento e a condenação de carcaças em matadouros. No Brasil, apesar de todos os avanços tecnológicos ocorridos na avicultura industrial, há relatos recentes de aumento da condenação de carcaças nos abatedouros, devido à presença de colibacilose, que pode estar associada ou não a outros agentes infecciosos, particularmente o vírus da bronquite infecciosa (VBI), incluindo as estirpes vacinais atenuadas desse vírus. Estudos experimentais têm demonstrado que a infecção pelo VBI aumenta a susceptibilidade à colibacilose, afetando tanto o trato respiratório, como os órgãos sistêmicos, e causam aerossaculite ou colisepticemia, respectivamente. Assim, o presente estudo foi proposto com o objetivo de caracterizar os perfis de virulência de cepas de E. coli patogênicas para aves (APEC), caracterizando-as genotipicamente, fenotipicamente e filogeneticamente, bem como para investigar a ocorrência de co-infecção entre cepas de APEC e isolados do VBI em planteis de aves brasileiras, a fim de compreender melhor a epidemiologia da colibacilose aviária e da co-infecção com o VBI no Brasil de forma a definir melhor uma estratégia de controle mais eficaz para esta doença infecciosa.