Busca avançada
Ano de início
Entree

Estabelecimento de protocolo para indução de doença periodontal experimental em murinos por Aggregatibacter actinomycetemcomitans

Processo: 13/06036-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2013
Vigência (Término): 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Marcia Pinto Alves Mayer
Beneficiário:Natália de Oliveira Neves
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Aggregatibacter actinomycetemcomitans   Doenças periodontais   Microbiologia oral

Resumo

Aggregatibacter actinomycetemcomitans está associado à etiologia da periodontite agressiva localizada e apresenta vários fatores de virulência, destacando-se aderência e invasão em células epiteliais, produção de leucotoxina e toxina distensora citoletal. Em camundongos usados como modelo animal experimental, a inoculação de variante lisa, afimbriada na cavidade oral e nos tecidos gengivais induz a perda óssea alveolar, porém, a bactéria foi detectada por PCR apenas dos tecidos gengivais e não das superfícies dos dentes e mucosas. Em modelo em ratos, a inoculação da variante rugosa induziu a colonização da cavidade oral, diferindo da variante lisa. Diferentes espécies de animais e até mesmo diferentes linhagens dentro da mesma espécie podem exibir diferenças na suscetibilidade a infecção por bactérias patogênicas e no desenvolvimento de doença. Assim o objetivo do presente estudo é testar a hipótese de que uma amostra do sorotipo b de A. actinomycetemcomitans com fenótipo fimbriado seria capaz de colonizar a cavidade oral e induzir periodontite em modelo animal murino. Métodos: isolado de A. actinomycetemcomitans da linhagem JP2, com fenótipo rugoso, obtido em cavidade oral humana, será inoculado em camundongos de três linhagens distintas C3H/HeJ, C57 Black e Balb C. Serão utilizados 6 camundongos de cada linhagem alocados aleatoriamente em 2 subgrupos (n=3), infectado e controle. A doença periodontal será induzida pela inoculação oral de células fimbriadas viáveis de A. actinomycetemcomitas após cultura em meio líquido. Após 60 dias da última inoculação oral, os animais serão sacrificados. Serão conduzidas análises do padrão morfológico das estruturas periodontais, perfil de citocinas (IL-6, IL-10 e IL-12) nos tecidos gengivais e no soro dos animais, e níveis de A. actinomycetemcomitans nos tecidos gengivais e na superfície dos dentes e mucosas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: