Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise do gene DICER1 em tumores adrenocorticais de crianças e adultos

Processo: 13/09621-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de setembro de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Madson Queiroz Almeida
Beneficiário:Gabriela Resende Vieira de Sousa
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Endocrinologia   Análise genética   MicroRNAs   Dicer   Transformação celular neoplásica   Neoplasias do córtex suprarrenal   Carcinoma adrenocortical   Crianças   Adultos

Resumo

Carcinomas adrenocorticais correspondem a 0,05-0,2% de todos os cânceres, com uma incidência estimada em 0,5-2,0 por milhão por ano em adultos. A incidência de tumores adrenocorticais pediátricos é significativamente elevada no Sul e Sudeste do Brasil, onde é estimada em 10-15 vezes maior que a incidência mundial. No momento, poucas opções terapêuticas para os pacientes com carcinoma adrenocortical metastático são disponíveis, e novas descobertas sobre a patogênese desta doença letal são urgentemente necessárias. O perfil de expressão gênica de microRNAs (miRNAs) em tumores humanos tem sido caracterizado por uma redução global da expressão de miRNAs. Na verdade, assinatura gênica de miRNAs tem sido útil na classificação e determinação do prognóstico em tumores malignos. O silenciamento da DICER1, enzima reguladora do processamento de miRNAs, propiciou o surgimento de células com fenótipo mais agressivo, acelerando a progressão tumoral. A redução da expressão da DICER1 foi relacionada à hiperexpressão dos miR-103 e miR-107. Além disso, a hiperexpressão do miR-103 e miR-107 se correlacionou com prognóstico desfavorável e metástase em câncer de mama. Recentemente, mutações somáticas missense recorrentes no domínio de clivagem RNase IIIb da enzima DICER1 foram identificadas em 29% dos tumores ovarianos não-epiteliais esteroidogênicos (e em até 60% dos tumores ovarianos de células de Leydig). Levando-se em consideração que os tumores adrenocorticais são esteroidogênicos, a semelhança dos tumores de Leydig gonadais, e que provavelmente possuem uma origem embrionária no grupo pediátrico (12% dos casos são diagnosticados no primeiro ano de vida ou período neonatal), nos propomos neste projeto investigar variantes genéticas no domínio de clivagem RNAse IIIb do gene DICER1 em 91 tumores adrenocorticais de crianças e adultos, além de determinar a expressão gênica da DICER1 e dos miR-103 e 107. As metodologias empregadas serão PCR em tempo real, sequenciamento automático e imuno-histoquímica. (AU)