Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do treinamento perineal e do tipo de parto na distribuição multivetorial de cargas do assoalho pélvico feminino

Processo: 13/13820-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2013
Vigência (Término): 01 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Isabel de Camargo Neves Sacco
Beneficiário:Licia Pazzoto Cacciari
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):15/19679-9 - Pelvic floor morphological changes after physiotherapy treatments for urinary incontinence as measured by transperienal Ultrasound, BE.EP.DR
Assunto(s):Assoalho pélvico   Desenvolvimento muscular   Incontinência fecal   Incontinência urinária

Resumo

O assoalho pélvico é um conjunto de músculos, ligamentos e fáscias, localizado na região da pelve ainda pouco estudado do ponto de vista da biomecânica. Sua função é sustentar os órgãos pélvicos e garantir a continência urinária e fecal. Embora 45% das mulheres não sejam capazes de contrair o assoalho pélvico voluntariamente, a força e a capacidade de sustentação da contração dessa musculatura estão relacionadas à severidade da incontinência urinária e à satisfação sexual. O fator de risco mais bem estabelecido para disfunção e enfraquecimento da musculatura do assoalho pélvico é o parto vaginal. Os objetivos deste estudo são: (1) investigar se a prática de preparo perineal pré-natal diminui a fraqueza perineal, e (2) investigar os efeitos da prática do pompoarismo na força, resistência e coordenação dessa musculatura. A distribuição espaço-temporal e multivetorial de cargas do assoalho pélvico será obtida por meio de um probe instrumentado por sensores capacitivos (Pliance System- Novel, Monique, Alemanha) e de um dinamômetro instrumentado por célula de carga; (EMG-system do Brasil 020653/ 2013 - São José dos Campos, SP/Brasil). Para responder ao primeiro objetivo, 20 mulheres primíparas que passaram pelo parto vaginal com e sem a preparação perineal serão avaliadas quanto à distribuição multivetorial de cargas. Para responder ao segundo objetivo, 20 mulheres nulíparas praticantes e não praticantes de pomporismo serão avaliadas pelo mesmo protocolo do primeiro objetivo. Após a palpação vaginal, a distribuição espaço-temporal da força da musculatura do assoalho pélvico será avaliada durante 3 contrações voluntárias máximas e uma contração sustentada. As medidas obtidas entre os diferentes grupos independentes de mulheres em cada objetivo serão comparadas por meio de análises de variância (ANOVA), seguidas de testes post hoc de Newman-Keuls. Será adotado p= 0,05 para diferenças significativas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Estudos apoiados pela FAPESP ganham Prêmio Capes de Tese 2018  

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CACCIARI, LICIA P.; PASSARO, ANICE C.; AMORIM, AMANDA C.; SACCO, ISABEL C. N. High spatial resolution pressure distribution of the vaginal canal in Pompoir practitioners: A biomechanical approach for assessing the pelvic floor. CLINICAL BIOMECHANICS, v. 47, p. 53-60, AUG 2017. Citações Web of Science: 0.
CACCIARI, LICIA P.; PASSARO, ANICE C.; AMORIM, AMANDA C.; GEUDER, MANFRED; SACCO, ISABEL C. N. Novel instrumented probe for measuring 3D pressure distribution along the vaginal canal. JOURNAL OF BIOMECHANICS, v. 58, p. 139-146, JUN 14 2017. Citações Web of Science: 1.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LICIA PAZZOTO CACCIARI. Análise da distribuição multivetorial de cargas do assoalho pélvico feminino em diferentes populações. 2017. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.