Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência dos PRRs na modulação da autofagia na infecção pelo Trypanosoma Cruzi e suas consequências na ativação de macrófagos e células dendríticas

Processo: 13/13924-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Karina Ramalho Bortoluci
Beneficiário:Kely Catarine Matteucci
Instituição-sede: Centro de Terapia Celular e Molecular. Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Macrófagos   Autofagia   Trypanosoma cruzi

Resumo

A autofagia é um processo homeostático celular, onde proteínas mal dobradas e organelas danificadas são degradadas. A autofagia também pode ser ativada quando há falta de nutrientes ou falta de energia (ATP), degradando macromoléculas para suprimir a falta destes componentes. Em processos infecciosos, a autofagia auxilia no controle de micro-organismos, os quais são englobados por autofagossomas que se fundem aos lisossomas, responsáveis pela degradação do micro-organismo captado. Os receptores para reconhecimento de padrões moleculares (PRRs) da imunidade inata vêm sendo relacionados com processo de regulação de autofagia e controle de micro-organismos. Nesse sentido, os receptores do tipo Toll (TLRs) ativam o processo de autofagia, enquanto os receptores citosólicos do tipo inflamassomas regulam negativamente esse processo. Uma vez que tanto os receptores TLRs quanto os inflamassomas estão envolvidos no controle do protozoário intracelular Trypanosoma cruzi, a proposta desse projeto é utilizar esse modelo de infecção para verificar a influência dos PRRs na regulação da autofagia, seu impacto na capacidade tripanomicida de macrófagos e a ativação de células dendríticas e macrófagos frente a indução de autofagia por fármacos.