Busca avançada
Ano de início
Entree

A valoração do trabalho manual no Século XVIII: irmandades de mecânicos e a ideia de trabalho (Vila do Recife e Reino)

Processo: 13/17671-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 15 de outubro de 2013
Vigência (Término): 14 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Maria Leda Oliveira Alves da Silva
Beneficiário:Renata Bezerra de Freitas Barbosa
Supervisor no Exterior: Fernanda Olival
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidade de Évora, Portugal  
Vinculado à bolsa:12/06085-5 - O trabalho manual no século XVIII - O caso da Irmandade do Patriarca São José dos Oficiais dos Quatro Ofícios Anexos (Recife, 1750-1777), BP.MS
Assunto(s):História regional do Brasil   História social   Irmandades

Resumo

O presente projeto visa à realização de um estágio no exterior junto à Universidade de Évora, sob a orientação da Professora Fernanda Olival, com a intenção de suprir algumas demandas que surgiram durante o desenvolvimento de minha pesquisa de Mestrado. Em primeiro lugar, a necessidade de pesquisa documental nos arquivos portugueses, a fim de unir com os dados já inventariados e transcritos por mim nos arquivos brasileiros, pois sem esse complemento documental a dissertação sairá a perder e o aparato crítico ficará a desejar. Em segundo lugar, ter acesso a uma bibliografia mais ampla e mais recente que trate das irmandades leigas compostas por oficiais mecânicos situadas no Reino no decorrer da Modernidade; e também o acesso a discussões historiográficas mais recentes acerca da valoração do trabalho manual no Reino durante o século XVIII, assim como a ocorrência ou não de uma mudança filosófica acerca da valoração trabalho em Portugal entre a primeira metade do século XVIII e a segunda metade desse mesmo século (período das pragmáticas pombalinas). Acreditamos que com esse estágio, conjuntamente com as pesquisas documentais e bibliográficas a serem realizadas nos arquivos e bibliotecas em Portugal, a dissertação ganhará mais profundidade, melhor discussão historiográfica e, também, melhor ampliação no aparato crítico documental. (AU)