Busca avançada
Ano de início
Entree

Soluções orbitais espectroscópicas completas para mais de 100 binárias massivas na região do "starburst" 30 Dourados

Processo: 13/18245-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2014
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Astrofísica Estelar
Pesquisador responsável:Augusto Damineli Neto
Beneficiário:Leonardo Andrade de Almeida
Supervisor no Exterior: Hugues Sana
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Local de pesquisa : Space Telescope Science Institute (STScI), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:12/09716-6 - Distâncias precisas de aglomerados jovens através de binárias eclipsantes massivas, BP.PD
Assunto(s):Estrelas binárias

Resumo

Um ingrediente chave que falta para as teorias de formação e evolução de estrelas massivas, e da evolução de aglomerados, é a fração robusta de binárias e as distribuições intrínsecas dos seus parâmetros orbitais. O levantamento Tarantula VLT-FLAMES (VFTS), que observou 800 estrelas do tipo O e B em 30 Dourados, foi projetado para detectar as binários mais massivas com períodos <200 dias: a fração de binárias do tipo O observada foi de 35% (126 binários). Usando um monitoramento de velocidade radial, vamos agora caracterizar as órbitas desses sistemas, com o objetivo de obter as primeiras medições das distribuições de período, razão de massa e excentricidade de binárias massivas em um ambiente denso e dinâmica complexa, em que as condições estão mais próximos para aqueles em super-aglomerados-estelares observados além do Grupo Local. Também vamos restringir as propriedades orbitais de 18 binárias B-supergigantes identificadas, incluindo uma com interação e um sistema de pós-interação. Estes sistemas representam casos de referência-chave para os modelos de evolução de sistemas binários cerrados. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Astrônomos encontram evidências de planeta quase 13 vezes maior que Júpiter 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.