Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da resposta imune inata e adaptativa na infecção pelo dermatófito Trichophyton rubrum

Processo: 13/18386-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de setembro de 2013
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Gil Benard
Beneficiário:Luciano Stafocker
Instituição-sede: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/19369-6 - Caracterização da resposta imune inata e adaptativa na infecção pelo dermatófito Trichophyton rubrum, AP.R
Assunto(s):Imunologia celular   Imunidade inata   Dermatomicoses   Trichophyton

Resumo

As infecções fúngicas se tornaram um importante problema de saúde pública nas últimas décadas devido ao aumento significativo de pacientes imunodeprimidos. Dentre essas infecções destaca-se a dermatofitose que é infecção superficial capaz de produzir lesões em tecidos queratinizados, como pele, pêlo e unhas. Dentre os agentes etiológicos o mais isolado é o Trichophyton rubrum. Pouco se conhece sobre a imunopatogênese desta micose. Sabe-se que as células do sistema imune inato detectam patógenos através dos receptores de reconhecimento padrão (PRRs). Dentre esses receptores destacam-se os receptores do tipo Toll-Like (TLRs) e os receptores de lectinas do tipo C (CLRs) os quais podem reconhecer o microorganismo e sinalizar para iniciar uma resposta imune-protetora durante uma infecção. Recentemente descobriu-se um novo tipo de células T helper chamadas de Th17 que são caracterizadas por secretar IL-17, que é essencial para montar uma resposta imune contra alguns patógenos. Já foi demonstrado que alguns CLRs como por exemplo o receptor de manose e/ou TLRs são capazes de regular o balanço entre Th1 e Th17, em parte pela liberação de citocinas secretadas pelas células Th17. Propomos analisar o envolvimento dos TLR 2 e TLR4 e do receptor de manose no reconhecimento do T. rubrum, bem como a participação desses receptores na indução de uma resposta Th1-Th17 em células humanas do sistema imune provenientes de doadores sadios e portadores de dermatofitose. Paralelemente, também será estabelecido o modelo experimental de dermatofitose com T. rubrum em camundongos BALB/c para analisar os tipos celulares envolvidos na resposta inflamatória in situ desses animais. Com isso, espera-se delinear os mecanismos envolvidos na ativação e supressão da resposta imune inata/adaptativa em pacientes e no modelo experimental de dermatofitose. (AU)