Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da eficácia de programa de monitoramento da saúde no Brasil

Processo: 13/18781-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 02 de janeiro de 2014
Vigência (Término): 01 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Economia do Bem-estar Social
Pesquisador responsável:Marislei Nishijima
Beneficiário:Marislei Nishijima
Anfitrião: Pierre Perron
Instituição-sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: Boston University (BU), Estados Unidos  
Assunto(s):Avaliação de políticas   Políticas públicas de saúde   Indicadores de saúde   Corrupção

Resumo

O objetivo deste projeto é avaliar os efeitos do programa de monitoramento da CGU (Corregedoria Geral da União Federal ou Inspetor Geral) sobre o desempenho dos municípios brasileiros na condução de políticas primárias de saúde após a ocorrência de inspeção, definida de maneira aleatória, que encontraram evidências de corrupção. A provisão de saúde básica no Brasil opera sobre um sistema de gestão que é descentralizado sob responsabilidade das autoridades municipais, entretanto, a descentralização financeira ainda está em seus estágios iniciais. Como resultado, o governo central ainda financia grande parte dos serviços de saúde para a maioria dos municípios, via transferências de recursos financeiros por meios de fundos, e utiliza o programa de monitoramento CGU para controlar a qualidade dos serviços primários de saúde prestados pelos municípios. Os efeitos dessa política de monitoramento sobre a qualidade dos serviços de atenção básica de saúde é avaliada por meio de medidas de corrupção que foram formuladas com base em relatórios de auditoria do programa ocorridas no período 2007 a 2012. Os municípios investigados foram selecionados aleatoriamente para auditoria pela CGU. Para medir o desempenho dos municípios serão usados indicadores de saúde básicos como variáveis dependentes. Espera-se que após a auditoria, que constitui um evento aleatório, as autoridades municipais tenham melhorado a qualidade de seus serviços de saúde após a ocorrência da inspeção. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)