Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise longitudinal das alterações nas estruturas de substância branca e cinzenta através da ressonância magnética no lúpus eritematoso sistêmico juvenil

Processo: 13/09480-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Simone Appenzeller
Beneficiário:Aline Tamires Lapa
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/02917-0 - Determinação de marcadores séricos e do líquor associados a alterações estruturais e funcionais do sistema nervoso central no lúpus eritematoso sistêmico, AP.JP
Assunto(s):Lúpus eritematoso sistêmico   Ressonância magnética   Reumatologia

Resumo

O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença multissitêmica caracterizada por períodos de atividade e remissão. Cerca de 15-20% dos pacientes com LES desenvolve a doença ainda na infância e adolescência, recentes estudos mostram que a idade limite para diagnóstico do LES juvenil (LESj) é de 18 anos. Há uma grande diferença da presença de mulheres com LES na vida adulta (9:1), quando comparamos crianças com LES (4:3) antes da puberdade, no entanto, após puberdade, a diferença sexual aumenta cerca de 4:1. Crianças e adolescentes geralmente têm uma forma mais grave da apresentação da doença, tendo também o desenvolvimento da doença e dos danos mais rapidamente do que os adultos com LES e têm uma maior carga da doença ao longo de suas vidas.O comprometimento do sistema nervoso central é freqüente em pacientes com LES juvenil e com alta morbi-mortalidade, mas muitas vezes se observa uma dissociação entre a clínica e os achados em neuroimagem. Vários biomarcadores associados à lesão neuronal têm sido relacionados ao LES neuropsiquiátrico, mas seu papel na patogênese e sua validade e aplicabilidade clínica não tem sido muito estudado em pacientes pediátricos.Nos exames de ressonância magnética (RM) em pacientes com LES juvenil podemos observar atrofia, lesões de substância branca e outras alterações estruturais. Porém ate o presente momento existem poucos estudos avaliando a prevalência longitudinal de alterações estruturais no LES juvenil e fatores associados a sua ocorrência. O presente estudo tem como objetivo determinar a prevalência longitudinal de manifestações neuropsiquiátricas no LES juvenil, analisar a prevalência longitudinal de alterações estruturais e de espectroscopia na RM além de determinar se S100B e neurofilamentos podem estar associados com a presença de atrofia cerebral.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
LAPA, ALINE TAMIRES; POSTAL, MARIANA; SINICATO, NAILU ANGELICA; FERREIRA, WESLLEY GERALDO; BELLINI, BRUNA SIQUEIRA; FERNANDES, PAULA TEIXEIRA; RITTNER, LETICIA; MARINI, ROBERTO; CENDES, FERNANDO; APPENZELLER, SIMONE. Reduction of Cerebral and Corpus Callosum Volumes in Childhood-Onset Systemic Lupus Erythematosus: A Volumetric Magnetic Resonance Imaging Analysis. ARTHRITIS & RHEUMATOLOGY, v. 68, n. 9, p. 2193-2199, SEP 2016. Citações Web of Science: 7.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LAPA, Aline Tamires. Análise longitudinal das alterações nas estruturas de substância branca e cinzenta através da ressonância magnética no lúpus eritematoso sistêmico juvenil. 2017. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.