Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do uso de ligninas como agente compatibilizante em compósitos de polipropileno reforçados com celulose de bagaço e palha de cana-de-açúcar

Processo: 13/18448-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 16 de fevereiro de 2014
Vigência (Término): 15 de junho de 2014
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Tecnologia Química
Pesquisador responsável:Adilson Roberto Gonçalves
Beneficiário:Patrícia Câmara Miléo
Supervisor no Exterior: Ingo Burgert
Instituição-sede: Escola de Engenharia de Lorena (EEL). Universidade de São Paulo (USP). Lorena , SP, Brasil
Local de pesquisa : Swiss Federal Laboratories for Materials Science and Technology, Dubendorf, Suíça  
Vinculado à bolsa:10/20414-6 - Estudo dò uso dè ligninas cómo agente compatibilizante Èm compósitos dè polipropileno reforçados com celulose dè bagaço e palha dè cana-de-açúcar, BP.DR
Assunto(s):Materiais compósitos

Resumo

O desenvolvimento de materiais compósitos poliméricos utilizando fibras naturais como reforço é crescente e vêm ocupando novos segmentos de mercado, devido ao baixo custo das fibras, biodegradabilidade, menor densidade e boas propriedades mecânicas. O objetivo principal deste trabalho é o estudo da utilização da lignina como agente compatibilizante em compósitos de polipropileno reforçados com celulose de bagaço e palha de cana-de-açúcar. Para isso os materiais lignocelulósicos serão pré-tratados, deslignificados, e branqueados. A lignina obtida após a deslignificação será utilizada como agente compatibilizante nos compósitos. Serão avaliados os tratamentos superficiais das fibras, o percentual das fibras, o uso de agente compatibilizante comercial para comparação, o tipo de fibra natural e as propriedades dos compósitos. Para a caracterização das fibras e dos compósitos serão utilizadas técnicas de microscopia eletrônica de varredura, difratometria de Raios X, espectroscopia na região do infravermelho, termogravimetria, calorimetria exploratória diferencial, microscopia de absorção atômica e espectroscopia de fotoelétrons excitados por raios-x, além da caracterização química das fibras. As propriedades mecânicas destes materiais serão estudadas através de ensaios normalizados de resistência à tração, resistência à flexão e resistência ao impacto. Também será avaliada a absorção de água. (AU)