Busca avançada
Ano de início
Entree

O homem em sua vaidade: análise das reflexões de Matias Aires na perspectiva da História dos Saberes Psicológicos

Processo: 13/14015-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2013
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia
Pesquisador responsável:Marina Massimi
Beneficiário:Nayara Aparecida Saran
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Vaidade

Resumo

Na história da cultura ocidental, o tema da vaidade sempre foi discutido como condição inerente ao humano. A vaidade mobiliza as ações humanas e acaba por determinar hábitos, costumes e valores de uma sociedade. O interesse humano em satisfazer suas vaidades próprias em detrimento do juízo instigou muitos filósofos e romancistas discutirem a influência da vaidade sob a concepção de homem de cada período histórico. Na vaidade pode-se perceber a existência de uma dimensão espiritual, psíquica e corporal que mobiliza a pessoa na busca de uma felicidade plena. Assim, a vaidade acaba por ditar um ideal de vida que acompanha a pessoa em suas experiências. Dessa maneira, pode-se dizer que a vaidade interfere no estado psíquico e motiva os pensamentos, emoções e comportamentos desenvolvidos por cada pessoa. O livro Reflexões sobre a vaidade do homem escrito em 1752 por Matias Aires possui 163 fragmentos de reflexões que circunscrevem a temática da vaidade para pensar a concepção de homem no século XVIII. Matias Aires foi um filósofo de procedência brasileira que recebeu educação jesuíta e foi fortemente influenciado pelo Iluminismo francês. As reflexões de Aires são consideradas como de fundamental contribuição aos saberes psicológicos desenvolvidos no Brasil a respeito da época colonial. O objetivo da pesquisa se destina a buscar a compreensão da concepção de vaidade na obra de Matias Aires e a maneira como a vaidade condiciona a vida humana na criação de uma imagem de si e na busca de um ideal para a felicidade. O método histórico conceitual sob a perspectiva da História dos Saberes Psicológicos é a base para a leitura, análise, interpretação e escrita da história desta pesquisa, tendo como fonte primária a obra Reflexões sobre a vaidade dos homens (1752), de Matias Aires. Será considerada a biografia de Matias Aires e será estudado o contexto histórico do final do século XVII e o século XVIII, através de fontes secundárias.