Busca avançada
Ano de início
Entree

Atividades metabólicas e endócrinas de adipócitos extraídos do tecido adiposo sucutâneo e visceral de animais obesos induzidos por dieta hiperlipídica e suplementados com ácidos graxos ômega-3

Processo: 13/03268-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2013
Vigência (Término): 30 de abril de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Maria Isabel Cardoso Alonso-Vale
Beneficiário:Roberta Dourado Cavalcante da Cunha de Sá
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/51627-8 - Efeito de ácidos graxos sobre a diferenciação e função do tecido adiposo, AP.JP
Assunto(s):Óleos de peixe   Lipólise   Resistência à insulina   Inflamação   Adipocinas   Obesidade

Resumo

RESUMOA obesidade é resultado de um desequilíbrio crônico entre a ingestão e o gasto de energia que leva ao armazenamento cumulativo de gordura, tanto em depósitos subcutâneos, quanto em depósitos adiposos viscerais. As morbidades associadas à obesidade estão bem descritos e incluem dislipidemia, resistência à insulina, diabetes mellitus do tipo 2 (DM2), hipertensão e doença cardiovascular, o que contribui para o aumento da mortalidade. A expansão do tecido adiposo observado na obesidade surge do aumento no tamanho (hipertrofia) e no número (hiperplasia) de adipócitos. Adipócitos maduros secretam adipocinas, tais como leptina, adiponectina, resistina, PAI-1, IL-6, MCP-1 e TNF-±. A elevada produção de algumas citocinas, é seguramente o componente mais importante na obesidade, estando esta associada a um quadro de inflamação crônica e de baixo grau, que predispõe à resistência à insulina e ao desenvolvimento do diabetes mellitus tipo 2 e aumento do risco cardiovascular. Este projeto tem como objetivo determinar o efeito do ácido graxo saturado (ácido palmítico [PA, C16:0]) e poli insaturado (ácido docosa-hexaenoico [DHA, C22:6 n-3] sobre a expressão de adipocinas em cultura primária de células oriundas do estroma vascular do tecido adiposo subcutaneo e visceral. Propõe-se uma análise da resposta diferencial entre os dois coxins adiposos, partindo-se de células mesenquimais multipotentes presentes nestes depósitos, que posteriormente à sua retirada serão direcionadas (in vitro) à diferenciação em adipócitos. Para tanto, tecido adiposo subcutâneo (região inguinal) e visceral (região epididimal) serão retirados de camundongos Swiss, para isolamento das células do estroma vascular. Estas células serão cultivadas em DMEM até a confluência; a diferenciação será induzida pela adição de um coquetel adipogênico por 48 h. Após 8 dias de diferenciação, os adipócitos serão tratados com os referidos ácidos graxos, por mais 24h. As células serão empregadas para estudos de citotoxicidade dos ácidos graxos por citometria de fluxo (a fim de se determinar as concentrações ideais para este modelo), e para os estudos de expressão das adipocinas e proteínas (inflamatórias e da via de sinalização da insulina) tais como a leptina, adiponectina, resistina, PAI-1, IL-6, MCP-1, IL-10, IL-1², e TNF-±; JNK, IKK-², PKC, IRS-1, AKT, IR² e GLUT4) por RT-PCR em tempo real e/ou ensaio imunoenzimático e/ou western blotting.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DA CUNHA DE SA, ROBERTA D. C.; CRISMA, AMANDA R.; CRUZ, MAYSA M.; MARTINS, AMANDA R.; MASI, LAUREANE N.; DO AMARAL, CATIA L.; CURI, R.; ALONSO-VALE, MARIA I. C. Fish oil prevents changes induced by a high-fat diet on metabolism and adipokine secretion in mice subcutaneous and visceral adipocytes. JOURNAL OF PHYSIOLOGY-LONDON, v. 594, n. 21, p. 6301-6317, NOV 2016. Citações Web of Science: 18.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.