Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise proteômica no CAPE para avaliação do perfil de expressão proteica nos carcinomas escamosos usuais e verrucosos em relação ao epitélio escamoso não neoplásico

Processo: 13/19613-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2013
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:José Vassallo
Beneficiário:Carla Cabral de Moraes
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/52088-3 - O carcinoma de pênis: estudo de um problema brasileiro abordando da morfologia aos mecanismos moleculares, AP.TEM
Assunto(s):Proteômica   Neoplasias penianas

Resumo

O presente projeto tem como principal objetivo aprimorar o conhecimento dos aspectos moleculares na elucidação da etiopatogenia do carcinoma de pênis (CaPe). O objetivo específico é determinar a existência de proteínas diferencialmente expressas entre os tumores com e sem associação ao HPV quando comparados ao epitélio peniano normal. Serão utilizados tecidos congelados provenientes do Banco de Tecidos do Hospital do Câncer A C Camargo de São Paulo. Fragmentos de casos exemplares de CaPe dos tipos (a) escamoso habitual e (b) verrucoso serão analisados quanto a sua expressão protéica em eletroforese bidimensional (EB), comparando-se o padrão de expressão entre esses tipos e com espécimes de epitélio escamoso peniano não neoplásico. Os "spots" que apresentarem expressão diferencial mais significativa (maior diferença de quantidade, constância entre todos os carcinomas em relação ao tecido controle ou entre os dois subtipos de carcinoma) serão selecionados para caracterização protéica por espectrometria de massas, sendo enviados sob refrigeração para o Laboratório associado que dispõe do aparelho apropriado para esse fim. Após a caracterização de proteínas de interesse, os resultados serão validados pelas técnicas de Western blotting e imunoistoquímica em número maior de casos.Cada uma das proteínas diferencialmente expressas será confrontada com os dados clinicopatológicos (invasão profunda, comprometimento de linfonodos e recidiva locorregional), permitindo a detecção de potenciais fatores de prognóstico, preditivos ou alvos terapêuticos.