Busca avançada
Ano de início
Entree

A revisão do complexo de William Wilson em o médico e o monstro, de Robert Louis Stevenson

Processo: 13/16530-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2013
Vigência (Término): 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Literaturas Estrangeiras Modernas
Pesquisador responsável:Aparecido Donizete Rossi
Beneficiário:Vinicius Lucas de Souza
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Literatura inglesa

Resumo

O presente projeto tem por objetivo demonstrar como o romance O médico e o monstro (Strange Case of Dr. Jekyll and Mr. Hyde, 1886), de Robert Louis Stevenson, revisa, inova e amplia a tradição do duplo, iniciada por E. T. A. Hoffmann e articulada no seu conto "O homem da areia" ("Der Sandmann", 1816), posteriormente desenvolvida por Edgar Allan Poe no conto "William Wilson" (1839) e revisitada no romance O retrato de Dorian Gray (The Picture of Dorian Gray, 1890-1891), por Oscar Wilde. Partindo-se desses romances e contos, além de textos teóricos e críticos, pretende-se focar na extensão do Complexo de William Wilson presente no romance de Stevenson, resultando no Paradoxo Jekyll e Hyde, o qual esta pesquisa pretende melhor delinear. Para tanto, buscar-se-á primeiramente uma reflexão sobre o duplo e sobre o resultante Complexo de William Wilson. Em seguida, partindo de uma análise mais aprofundada do romance de Stevenson, procurar-se-á demonstrar como a tradição do Complexo de William Wilson é ampliada e/ou modificada em O médico e o monstro, a ponto de constituir-se no que aqui se chamou de Paradoxo Jekyll e Hyde.Palavras-chave: Robert Louis Stevenson. O médico e o monstro. Duplo. Complexo de William Wilson. Paradoxo Jekyll e Hyde.