Busca avançada
Ano de início
Entree

A evolução da água de fundo Antártica desde o último máximo glacial usando a análise OMP

Processo: 13/20977-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 30 de novembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Física
Pesquisador responsável:Ilana Elazari Klein Coaracy Wainer
Beneficiário:Juliana Marini Marson
Supervisor no Exterior: Lawrence A. Mysak
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : McGill University, Montreal, Canadá  
Vinculado à bolsa:11/02047-9 - Pulsos de água doce na transição do Último Máximo Glacial: impactos na estrutura física e dinâmica do Oceano Austral, BP.DR

Resumo

A Água de Fundo Antártica (AFA) é uma componente importante na circulação oceânica global, que é responsável pela distribuição de calor do equador para os pólos. A variabilidade da formação e exportação da AFA está, portanto, intimamente associada a mudanças climáticas. Esta massa de água é formada ao redor do continente Antártico, onde as águas em superfície estão próximas ao ponto de congelamento e recebem o sal oriundo da formação do gelo marinho. Estes dois fatores contribuem para que a água seja densa o suficiente para afundar. Desde o Último Máximo Glacial, o Oceano Austral tem recebido uma grande quantidade de água doce proveniente do derretimento do manto de gelo Antártico. A entrada desta água de degelo nos pontos de formação da AFA afeta sua produção. Usando a primeira simulação transiente dos últimos 21 mil anos, este estudo tem por objetivo determinar mudanças termohalinas na AFA e a variabilidade de sua distribuição espacial causada pela entrada de água doce. Nós esperamos ver uma redução na formação de uma AFA mais doce e quente, especialmente após um grande pulso de degelo que ocorreu há aproximadamente 14 mil anos atrás. (AU)