Busca avançada
Ano de início
Entree

Desempenho produtivo de Cynodon spp. cv. Tifton 85 submetido a diferentes manejos de irrigação

Processo: 13/17572-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Engenharia Agrícola - Engenharia de Água e Solo
Pesquisador responsável:Fernando Campos Mendonca
Beneficiário:Caroline Salles de Miranda Motta
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Forragicultura   Manejo da irrigação

Resumo

A utilização de pastagens como base da alimentação de bovinos de leite ou corte é umas das formas de reduzir os custos de produção e tornar a atividade mais competitiva. Para obter a máxima produtividade de forragem é indispensável dispor de condições ideais à fotossíntese, tais como boa disponibilidade de luz, nutrientes e água. Uma das opções para aumentar a produtividade das pastagens é a irrigação, entretanto, é pouco conhecida a relação entre a disponibilidade de água no solo e a produtividade de forragem. É necessário definir o intervalo hídrico ótimo entre irrigações, para garantir às plantas a disponibilidade de água adequada ao desempenho de suas funções produtivas e reprodutivas. Este trabalho tem por objetivo estudar o desempenho produtivo de Cynodon spp. cv. Tifton-85 sob diferentes turnos de rega, definidos a partir de diferentes fatores de depleção (p) de água no solo, e determinar o fator de depleção que otimiza o desempenho produtivo da forrageira. A pesquisa será conduzida em ambiente protegido localizado em área experimental do Departamento de Engenharia de Biossistemas da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (ESALQ/USP), em Piracicaba, SP, sob o delineamento estatístico de blocos casualizados em esquema fatorial 5 x 7, com cinco tratamentos e sete avaliações (cortes da parte aérea e amostragens de raízes) e quatro repetições (140 unidades experimentais). Serão avaliados os efeitos de cinco níveis de depleção de água no solo (P1 = 0 - 0,05; P2 = 0,20; P3 = 0,40; P4 = 0,60; P5 = 0,80), que definem o momento de irrigação a partir da percentagem de água disponível no solo, respectivamente, em 95%-100% (testemunha), 80%, 60%, 40% e 20% da água disponível. As unidades experimentais serão compostas por vasos com capacidade de 8,5 litros, preenchidos com o solo da área experimental, corrigido em seus níveis de fertilidade, nos quais serão transplantadas mudas de capim Tifton 85. As mudas cultivadas até atingirem uma altura de 20-25 cm, momento em que será feito o corte de nivelamento e iniciada a aplicação dos tratamentos. As amostragens para avaliações destrutivas e não destrutivas serão iniciadas após o período de estabelecimento e o corte de nivelamento. As amostragens para avaliação destrutiva (retirada das plantas dos vasos) serão feitas a cada 21 dias, amostrando-se as plantas de quatro unidades experimentais por tratamento (20 unidades/amostragem). Nas demais unidades, será realizado o corte das plantas a uma altura de 5 cm da superfície do solo, a fim de simular os ciclos de manejo em um sistema de pastejo rotacionado. As amostragens para avaliação não destrutiva serão feitas a cada 7 dias, medindo-se: (a) altura da planta, da superfície do solo à curvatura da última folha expandida; (b) altura do colmo, da superfície do solo à lígula da última folha expandida; (c) altura da lígula da folha anterior ao ápice da folha em expansão; (d) diâmetro do colmo; (e) número de perfilhos; (f) número de folhas expandidas; e (g) número de folhas senescentes. Em todos os cortes de amostragem, as plantas serão separadas em lâminas e colmos + bainhas (colmos propriamente ditos, mais as bainhas que foram mantidas circundadas a eles). As raízes serão separadas e lavadas. Tanto as partes aéreas como as raízes das plantas serão colocadas em estufa de circulação de ar, para secagem à temperatura de 65 graus Celsius, até atingirem peso constante. Após a secagem do material vegetal será determinada a produção de matéria seca da lâmina foliar (MSLF), colmos + bainhas (MSCB), e raízes (MSR). A produção de matéria seca da parte aérea (MSPA) será obtida pela soma dos pesos de seus componentes. Os resultados serão submetidos à análise de variância para verificação de diferenças significativas entre tratamentos. Em caso positivo, as médias serão comparadas pelo teste de Tukey às probabilidades de 1% e 5%.