Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise comparativa do processo de reparo de defeitos ósseos realizados em calvária de ratos preenchidos com beta tricálcio fosfato

Processo: 13/12912-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2013
Vigência (Término): 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Pesquisador responsável:Eduardo Hochuli Vieira
Beneficiário:Bruno Coelho Mendes
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Implantodontia   Reparo ósseo   Biomateriais

Resumo

Com o advento dos implantes, houve a necessidade de um rebordo com ótima espessura e altura para permitir maior previsibilidade de sucesso para o tratamento. Contudo, após a perda dos elementos dentários, cessam os estímulos que mantêm este osso, havendo redução na altura da crista alveolar e trabeculado ósseo, limitando a instalação e reabilitação com implantes. Dentre as diversas técnicas cirúrgicas disponíveis para a reabilitação de maxila atrófica, está o preenchimento dos defeitos com enxertos ósseos. O material de enxerto ideal deve ser osteogênico, osteocondutivo e osteoindutivo, sendo o osso autógeno o mais compatível e com resultados satisfatórios. Porém, a morbidade da área doadora leva a busca de alternativas como o uso de materiais aloplásticos. O Beta-Tricálciofosfato, usado desde a década de 70, é um composto de cálcio e fósforo que apresenta similaridade química e cristalográfica com a composição básica do osso humano, sendo o ChrOnos(Synthes®) uma forma comercial completamente sintética e com potencial osteocondutor. Assim, o objetivo deste trabalho será avaliar por meio de análise histomorfométrica o potencial osteocondutor de grânulos do ChrOnos no reparo ósseo de defeito de tamanho críticos em calvárias de ratos.