Busca avançada
Ano de início
Entree

A incorporação do conceito de território pela política pública de assistência social como estratégia de gestão nas áreas de abrangência dos CRAS

Processo: 13/11697-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Pesquisador responsável:Everaldo Santos Melazzo
Beneficiário:Paula Fonseca Do Nascimento Viudes
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Assistência social   Sistema único de assistência social   Políticas públicas   Indicadores sociais   Território   Espaço urbano   Presidente Prudente (SP)

Resumo

Consideramos indicadores como medidas quantitativas ou qualitativas construídas de modo a permitir o conhecimento da realidade social de um determinado território. Essa necessária conexão de indicadores com a realidade social, pessoas e território transformam esses indicadores em importantes instrumentos de observação e de análise, permitindo o reconhecimento das desigualdades em suas múltiplas dimensões e a presença de diferentes fatores sociais e econômicos que levam indivíduos e a famílias a situações de risco e/ou vulnerabilidade social. Destacamos como objetivo central em nossa pesquisa a proposição, sistematização e análise de indicadores sociais que permitam o reconhecimento da dimensão territorial das áreas de abrangência dos Centros de Referência de Assistência Social - CRAS em realidades urbanas não metropolitanas. Se selecionados e analisados a partir de uma problematização do território, com as devidas sistematização e representação cartográfica, os indicadores poderão (ou deverão) expressar os processos sobre os quais devem incidir a política pública da Assistência Social, questão que subjaz esta pesquisa de mestrado. A partir do (re)conhecimento do território, através de indicadores específicos e particulares, espera-se que seja possível à própria política pública da Assistência Social promover e elaborar ações efetivamente estratégicas de enfrentamento das situações apontadas acima, permitindo ir além da caracterização de carências, evidenciando potencialidades locais fundamentais para formulação, implantação e avaliação de políticas públicas. É neste sentido que esta dissertação procura os diálogos possíveis entre a Geografia e a Assistência Social, não de uma maneira abstrata, mas concretamente direcionada à ação sobre territórios de vulnerabilidade e risco social. É neste contexto que a sistematização de indicadores que considerem o território e suas diferentes realidades torna-se determinante para auxiliar na gestão das políticas públicas. Acredita-se, assim, que introduzir a perspectiva territorial nas políticas públicas com vistas à ampliação dos conhecimentos e informações necessárias que ajudem a transformar os dados e estatísticas sobre a realidade social em instrumentos de ação, possibilita um olhar mais decisivo intenso, ampliando a análise dessa discussão. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
VIUDES, Paula Fonseca Do Nascimento. A incorporação do conceito de território pela Política Pública de Assistência Social como estratégia de gestão nas áreas de abrangência dos CRAS. 2016. 117 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências e Tecnologia..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.