Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de suportes nanofibrosos de PLLA-ECM para a regeneração óssea

Processo: 13/21850-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2013
Vigência (Término): 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Luiz Henrique Catalani
Beneficiário:Mariana Carvalho Burrows
Supervisor no Exterior: Eileen Gentleman
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : King's College London, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:11/09480-0 - Estudo da matriz extracelular (ECM) decelularizada para o desenvolvimento de suportes nanoestruturados, BP.DR
Assunto(s):Regeneração óssea   Biomateriais poliméricos   Eletrofiação

Resumo

A matriz extracellular (ECM) é secretada pelo tecido biológico e é chave para importantes mecanismos de respostas celulares. O processo de decelularização do tecido ósseo gera a matriz extracelular decelularizada, que pode ser utilizada na engenharia de tecidos para a produção de hidrogéis ou de suportes de crescimento celular. As principais propriedades dos materiais derivados de ECM são: biodegradáveis, biocompatíveis e nanoestruturados tridimensionalmente, são compostos de fatores de crescimento, glicosaminoglicanas, colágeno, fibronectina e laminina, no entanto, a composição do material produzido depende do tecido no qual foi obtida a ECM. Tem-se estudado neste projeto a digestão de ECM por pepsina, tripsina e colagenase. Estes produtos de digestão foram incorporados ao PLLA através de duas metodologias diferentes para produzir suportes de crescimento celular PLLA-ECM. Esta proposta pretende avaliar os materiais produzidos para a regeneração óssea utilizando-se da resposta de células tronco mesenquimais no processo de osteogenese, analisando a expressáo proteíca e gênica e a formação de nódulos minerais sobre os suportes produzidos, para isto, serão utilizadas as técnicas de western blot, quantitative Polymerase Chain Reaction (qPCR), Imunohistoquímica, Fosfatase Alcalina, Vermelho de alizarina, SEM, TEM e Espectroscopia Micro-Raman. (AU)