Busca avançada
Ano de início
Entree

A voz da ironia e a ironia da voz: o problema da enunciação Èm Machado de Assis

Processo: 12/24470-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2013
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras
Pesquisador responsável:Verónica Galíndez
Beneficiário:Luciana Antonini Schoeps
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Teoria literária   Machado de Assis   Ironia   Enunciação   Crítica genética

Resumo

O presente projeto tem como objetivo o estudo da ironia na obra de Machado de Assis, contemplada a partir da leitura da enunciação. Para tanto, pretendemos observar de que forma a problematização em torno da construção do lugar do narrador e da voz narrativa tornam complexa a definição dos contornos do discurso irônico e da observação da existência de um éthos irônico, através do levantamento das marcas enunciativas da ironia, do narrador e do discurso indireto livre, presentes no romance publicado Esaú e Jacó e em seu manuscrito. Tal levantamento visa a descrição da ironia, de seus efeitos e de suas funções no que concerne à produção machadiana.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SCHOEPS, Luciana Antonini. As vozes sem boca no manuscrito do cenógrafo Machado de Assis: Esaú e Jacob. 2016. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.