Busca avançada
Ano de início
Entree

Abordagens experimentais em proteômica e glicômica aplicadas à caracterização do veneno de Bothrops alcatraz

Processo: 13/14651-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2013
Vigência (Término): 30 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Solange Maria de Toledo Serrano
Beneficiário:Débora Andrade Silva
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/12245-0 - Glicômica aplicada à caracterização de venenos do gênero Bothrops, BE.EP.MS
Assunto(s):Espectrometria de massas   Proteoma   Proteômica

Resumo

Os venenos ofídicos constituem importantes fontes de biomoléculas ativas cujos potenciais terapêutico e científico ainda não foram completamente explorados, mesmo nos dias atuais. Mediante a função biológica primária de facilitar a imobilização e digestão da presa, e a observação da existência de variabilidade na composição dos venenos entre os vários níveis taxonômicos, o estudo da relação variabilidade/dieta ainda permanece em constante discussão. O gênero Bothrops apresenta ampla distribuição no território brasileiro, sendo a espécie B. jararaca seu representante de maior importância médica na região sudeste do país. Análises genéticas e filogeográficas descrevem a existência de um grupo monofilético, denominado grupo Jararaca que inclui, além da espécie B. jararaca, as espécies insulares B. alcatraz e B. insularis. Desencadeamentos geológicos do período Pleistoceno, há 11000 anos, acarretaram o isolamento geográfico de espécimes de B. jararaca em diferentes ambientes insulares na costa paulista, levando ao surgimento das espécies B. alcatraz, no arquipélago de Alcatrazes, e B. insularis, na ilha da Queimada Grande. A restrita alimentação disponível nas ilhas levou à existência de dietas baseadas em animais ectotérmicos, por espécimes juvenis, e aves, por espécimes adultos de B. insularis, enquanto que indivíduos de B. alcatraz se limitam à ingestão de ectotérmicos, principalmente lacraias e anfíbios, durante toda a vida, de forma que, mesmo na fase adulta, estes indivíduos assemelham-se fisicamente a espécimes juvenis de B. jararaca. Na ausência do conhecimento sobre o proteoma e peptidoma do veneno de B. alcatraz este projeto tem o objetivo de descrever tais características deste veneno insular além de estudar a principal modificação pós-traducional de proteínas de venenos, a glicosilação. Neste projeto serão utilizadas abordagens proteômicas, peptidômicas e glicômicas para explorar o veneno da B. alcatraz verificando sua composição à luz de importantes metodologias analíticas.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ZELANIS, ANDRE; SILVA, DEBORA A.; KITANO, EDUARDO S.; LIBERATO, TARCISIO; FUKUSHIMA, ISABELLA; SERRANO, SOLANGE M. T.; TASHIMA, ALEXANDRE K. A first step towards building spectral libraries as complementary tools for snake venom proteome/peptidome studies. Comparative Biochemistry and Physiology D-Genomics & Proteomics, v. 31, SEP 2019. Citações Web of Science: 0.
ANDRADE-SILVA, DEBORA; ASHLINE, DAVID; TRAN, THUY; LOPES, ALINE SORIANO; TRAVAGLIA CARDOSO, SILVIA REGINA; REIS, MARCELO DA SILVA; ZELANIS, ANDRE; SERRANO, SOLANGE M. T.; REINHOLD, VERNON. Structures of N-Glycans of Bothrops Venoms Revealed as Molecular Signatures that Contribute to Venom Phenotype in Viperid Snakes. MOLECULAR & CELLULAR PROTEOMICS, v. 17, n. 7, p. 1261-1284, JUL 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.