Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos de drogas com ação purinérgica sobre a memória emocional e a atenção em um modelo animal de esquizofrenia

Processo: 13/15717-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2013
Vigência (Término): 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Mariana Bendlin Calzavara
Beneficiário:Bianca Avansi Camerini
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Esquizofrenia   Ratos endogâmicos SHR   Psiquiatria

Resumo

Recentemente descrevemos que a linhagem de ratos espontaneamente hipertensos SHR (spontaneously hypertensive rats) apresenta um déficit na tarefa de medo condicionado ao contexto (um modelo para o estudo de processamento emocional), o qual é revertido especificamente por antipsicóticos (drogas utilizadas na terapêutica da esquizofrenia) e agravado por manipulações relacionadas à potencialização da esquizofrenia. Além disso, essa linhagem apresenta déficit no teste de inibição latente, outro paradigma muito utilizado para o estudo de déficits de atenção presentes na esquizofrenia. Prejuízos no processamento de emoções e atenção permeiam a esquizofrenia e têm sido sugeridos como um fator determinante para a manifestação dos graves sintomas associados a essa patologia. Contudo, poucos têm sido os esforços para a investigação das bases neurobiológicas dessas anormalidades de processamento de emoção. Especificamente neste projeto, pretendemos estender e aprofundar a caracterização do déficit de medo condicionado ao contexto. Mais especificamente, pretendemos avaliar a participação do sistema purinérgico na aquisição da tarefa de medo condicionado ao contexto e na inibição latente por meio da administração da papaverina, um inibidor da enzima 10 A fosfodiesterase, da cafeína, um antagonista de receptores de adenosina do tipo A2a e A1 e do GSC 21680, um agonista A2a. Trabalhos recentes têm mostrado um perfil antipsicótico da papaverina, visto que seu efeito neuroquímico final é semelhante ao encontrado na administração de antipsicóticos, ou seja, o aumento de adenosina monofosfato (AMP).Este projeto está inserido em um dos braços de pesquisa do Laboratório Interdisciplinar de Neurociências Clínicas (LiNC), coordenado pelo prof. Dr. Rodrigo A. Bressan do Departamento de Psiquiatria desta Universidade, na qual a Drª Mariana B. Calzavara atua como pesquisadora e orientadora. Essa parceria tem como objetivo o desenvolvimento de abordagens translacionais, enriquecendo indubitavelmente as pesquisas tanto básicas quanto clínicas sobre a fisiopatologia e a terapêutica de transtornos psiquiátricos. Nesse sentido, o desenvolvimento do presente projeto é um passo preliminar para a avaliação da participação de diferentes aspectos da neurotransmissão purinérgica em modelos animais com o objetivo futuro de ampliar os resultados para estudos em portadores de esquizofrenia. Assim, esse projeto se insere em uma linha de pesquisa mais abrangente e pioneira que, acreditamos, têm muito a contribuir para o entendimento tanto clínico quanto básico dos transtornos psiquiátricos. O projeto conta com parque de equipamentos e apoio dos projetos aprovados em nome da orientadora e aqueles nos quais há colaboração com a Profª Drª Vanessa C. Abílio, membro do LinC e docente do Departamento de Farmacologia.