Busca avançada
Ano de início
Entree

Degradação dè aditivos industriais pôr ozonização e UV/H2O2

Processo: 13/19323-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2014
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Marcos Roberto de Vasconcelos Lanza
Beneficiário:Renato Falcão Dantas
Instituição-sede: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Ozônio   Peróxido de hidrogênio   Efluentes industriais   Processos oxidativos avançados

Resumo

A presença de novos contaminantes chamados "contaminantes emergentes" têm sido fonte de preocupação na comunidade científica internacional e em governos em todo mundo. Sobretudo porque escassa é a informação sobre os seus efeitos no meio ambiente e em seres humanos. Dentre esses compostos podemos citar os fármacos, hormônios, produtos de higiene pessoal, aditivos industriais, etc. Tal problema se torna ainda mais alarmante porque foi demostrado que os métodos convencionais de tratamento de aguas e efluentes não são capazes de remover efetivamente esses compostos, sendo a cada ano descartadas toneladas desses contaminantes nos corpos de agua. Com isso, os métodos avançados de tratamento de aguas como é o caso dos processos oxidativos ganharam uma especial atenção como alternativa viável para solucionar esses problemas. Entretanto, do ponto de vista econômico, os processos oxidativos apresentam desvantagens com relação aos métodos convencionais. Esse projeto propõe encontrar doses ótimas de ozônio no processo de ozonização e de peroxido de hidrogênio no método UV/H2O2 numa tentativa de tornar viável o uso dessas tecnologias no Brasil. A maior dificuldade de encontrar a dose ótima reside no fato da composição dos efluentes, principalmente os industriais, variarem drasticamente dependendo das atividades econômica das regiões, de fatores ambientais, etc. Se espera que os resultados desse projeto possam estabelecer uma relação entre a composição do efluente e as doses necessárias para a correta remoção dos contaminantes propostos. Dessa forma o uso das tecnologias de oxidação avançadas seria viável para o tratamento de determinados efluentes industriais, o que seria um grande passo para a proteção ambiental no Brasil.