Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da adição de IGF-1 ou IGF-LongR3 sobre aspectos celulares e moleculares durante a maturação in vitro de oócitos bovinos.

Processo: 13/19528-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 31 de março de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Fernanda da Cruz Landim
Beneficiário:Michelle Silva Araujo Volpato
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Apoptose   Expressão gênica

Resumo

Apesar de 80% dos oócitos maturados in vitro serem fertilizados com sucesso, apenas 30 a 40% de blastocistos são produzidos a partir de oócitos após a maturação in vitro (MIV), fertilização e cultivo dos embriões bovinos. Um dos maiores desafios que permanece nos campos da biologia reprodutiva é o entendimento global dos processos moleculares e celulares que controlam a competência oocitária. Estudos envolvendo a adição de substâncias promotoras de crescimento ao meio de maturação, dentre as quais se destaca a família dos fatores semelhantes à insulina (IGFs), tem merecido destaque. O IGF-1 e outros fatores de crescimento estão envolvidos no controle do desenvolvimento folicular, da maturação oocitária e do subsequente desenvolvimento embrionário em várias espécies, incluindo a bovina. O fator semelhante à insulina-1 recombinante-3 (IGF-LongR3) é um análogo do IGF-1 amplamente utilizado em sistemas de cultivo de folículos e células da granulosa e apresenta afinidade mil vezes menor pelas proteínas de ligação ao IGF (IGFBPs), o que garante maior biodisponibilidade. No entanto, ainda não há estudos sobre os efeitos do IGF-LongR3 na maturação in vitro de oócitos bovinos. Desta forma, este trabalho tem como objetivo avaliar e comparar a progressão meiótica utilizando a coloração com Hoescht-33342, a apoptose pelo ensaio de TUNEL e o perfil gênico em oócitos (GDF9, BMP15, histona H2A, PDE3, OOSP1) e em células do cumulus (FSHR, EGFR, Ampiregulina, Receptor de P4 e COX2) por RT-qPCR em complexos cumulus-oócito (CCOs) bovinos, após o processo de maturação in vitro com o hormônio IGF-LongR3 ou com IGF-1. Conforme já demonstrado para o IGF-1, espera-se que o IGF-LongR3 quando adicionado ao meio de maturação, melhore a maturação oocitária in vitro, porém de forma mais eficiente que o IGF-1, por sua maior biodisponibilidade, podendo, desta forma, aumentar o número de oócitos aptos à fertilização e posteriormente, quiçá, a produção de embriões bovinos viáveis in vitro.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ARAUJO, M. S.; GUASTALI, M. D.; PAULINI, F.; SILVA, A. N.; TSUNEMI, M. H.; FONTES, P. K.; CASTILHO, A. C. S.; LANDIM-ALVARENGA, F. C. Molecular and cellular effects of insulin-like growth factor-1 and LongR3-IGF-1 on in vitro maturation of bovine oocytes: comparative study. GROWTH HORMONE & IGF RESEARCH, v. 55, DEC 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.