Busca avançada
Ano de início
Entree

Escuta dicótica-Integração hemisférica e resolução temporal em epilepsia

Processo: 13/19256-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 30 de novembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Liliane Desgualdo Pereira
Beneficiário:Beatriz Raz Franco de Santana
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Percepção auditiva   Adultos   Testes auditivos   Epilepsia   Transtornos da audição   Doenças auditivas centrais

Resumo

A epilepsia é uma síndrome caracterizada por crises espontâneas e recorrentes, podendo ser o resultado de descargas paroxísticas, excessivas e sincrônicas de uma população neuronal. Muitos fatores podem estar envolvidos nestas descargas anormais, e as manifestações clínicas dependem do tipo e da localização do grupo neuronal envolvido. Estudos mostram que a correta análise e interpretação da informação recebida auditivamente (Processamento Auditivo) depende da integridade anatômica e funcional das estruturas e que as descargas elétricas provocadas pelas crises podem levar a perdas neuronais na região onde ocorrem. Neste estudo elencou-se a hipótese da existência de dificuldades no processamento mental da informação recebida auditivamente, especificamente na habilidade auditiva de resolução temporal e de escuta dicótica (integração binaural) com palavras familiares. O objetivo do estudo é verificar o efeito das crises de epilepsia nos comportamentos de escuta dicótica - integração binaural e de resolução temporal. Métodos. Serão convidados a participar voluntariamente 30 adultos, homens e mulheres com diagnóstico de epilepsia do lobo temporal. Todos serão submetidos a testes comportamentais da avaliação do processamento auditivo da rotina audiológica para avaliar a resolução temporal e a escuta dicótica.Os dados serão analisados levando-se em conta se o foco epiléptico diagnosticado estava no hemisfério esquerdo ou no direito.