Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização do padrão de adesão localizado-like em isolados de Escherichia coli enteropatogênica atípica com diferentes perfis genéticos fimbriais

Processo: 13/19784-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2013
Vigência (Término): 30 de abril de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Roxane Maria Fontes Piazza
Beneficiário:Danielle Dias Munhoz
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Escherichia coli enteropatogênica atípica

Resumo

Escherichia coli enteropatogênica (EPEC) corresponde a um dos principais grupos de E. coli diarreiogênica (DEC) e um dos patotipos mais frequentes causadores de diarreia. Pode ser diferenciada em típica (tEPEC) e atípica (aEPEC), baseado na presença do plasmídeo pEAF, o qual codifica o gene bfp, responsável pela expressão da fímbria bundle forming-pilus (BFP) nas cepas de tEPEC e na ausência nas cepas de aEPEC. As aEPEC, pela ausência da fimbria BFP, apresentam um mecanismo alternativo para adesão à célula hospedeira, como a presença de adesinas fimbriais e afimbriais. A grande variabilidade destes mecanismos ressalta a importância de seu estudo para desvendar seu papel na capacidade de interação entre a bactéria e a célula eucariótica. Em um estudo realizado em nosso laboratório, foram pesquisados 31 genes fimbriais em uma coleção de 72 amostras de aEPEC. Dentre os genes pesquisados, alguns foram mais prevalentes, como fimA e fimH que codificam a fímbria do tipo I, e o gene ecpA que codifica a fímbria ECP (E. coli common pilus). Por outro lado, variantes do gene lpf, como lpfA1-2, lpfA2-1, lpfAO113, lpfA1-1 e lpfA1-3, foram encontradas em diferentes prevalências nas amostras analisadas. Por fim, outros genes foram encontrados em menor prevalência, como pilS e pilV que codificam uma fímbria do tipo IV descrita em uma amostra de E. coli enteroagregativa. Dados obtidos pelo nosso grupo demonstram que a simples presença do gene que codifica essas adesinas não é um indicativo direto da expressão da mesma, visto que a identificação dos genes pilS e pilV em três isolados bacterianos com diferentes padrões de adesão à células HEp-2, por PCR, apresentaram perfil de transcrição diferencial, sendo apenas duas cepas capazes de transcrevê-los. No isolado BA1244 esses genes não são transcritos, embora apresente o padrão de adesão localizado-like (ALL) e possua um perfil genético de adesinas fimbriais bastante complexo. Esses resultados nos levam aos objetivos do presente projeto, que consiste na caracterização do padrão de adesão localizado-like de três isolados que apresentam diferentes perfis genéticos de adesinas fimbriais, analisando-se quais genes estão sendo transcritos e a expressão das respectivas adesinas fimbriais.